Joaquin Phoenix aparece fantasiado de palhaço no set do filme do Coringa



O diretor Todd Phillips (“Se Beber, Não Case”) divulgou em seu Instagram uma nova foto de Joaquin Phoenix (“Ela”) vestido de palhaço em “Coringa”, com direito a nariz vermelho, sapatos enormes, peruca verde e um chapeuzinho, além da maquiagem de boca vermelha e cara pintada de branco.

Além disso, paparazzi captaram as filmagens das cenas em que o ator aparece com esse visual. Veja abaixo. O detalhe da cabine telefônica também confirma que o longa se passa algumas décadas atrás.

Mas o que chama atenção é que o Coringa tem a pela embranquecida e os cabelos verdes por conta de uma fantasia de palhaço e não por uma deformação resultante de um acidente com produtos químicos – a origem do Coringa nos quadrinhos.

Isto porque o diretor pretende mostrar a história de Arthur Fleck sob um ângulo diferente. A começar pelo fato de que ninguém nunca jamais never deu nome para a “identidade civil” do Coringa nos quadrinhos. O que já prepara os fãs da DC para toda espécie de “inovação” planejada por Phillips, que também escreveu o roteiro com Scott Silver (“O Vencedor”).



Além de Joaquin Phoenix, o elenco do longa conta com Robert De Niro (“Joy”), Zazie Beetz (“Deadpool 2”), Marc Maron (“GLOW”), Frances Conroy (“American Horror Story”), Bill Camp (“Operação Red Sparrow”), Brett Cullen (“Narcos”) e Shea Whigham (“Agent Carter”).

Segundo tem sido apurado, Maron interpreta um produtor do programa de TV apresentado pelo personagem de De Niro, que, por sua vez, será um astro de talk show com papel importante na origem do Coringa. Já Frances Conroy seria a mãe do futuro vilão do Batman, enquanto Brett Cullen daria vida a Thomas Wayne, o pai do próprio Batman.

“Coringa” será o primeiro – e talvez último – filme atual produzido à parte da cronologia do universo cinematográfico da DC Comics. Caso seja bem-sucedido, outros lançamentos “independentes” devem ser produzidos.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings