I’m Dying Up Here é cancelada após duas temporadas



O canal americano Showtime cancelou a série “I’m Dying Up Here”, produzida por Jim Carrey, ao final da 2ª temporada.

O último episódio foi exibido em julho e o cancelamento era esperado devido à baixíssima audiência. “I’m Dying Up Here” tinha uma média de apenas 150 mil espectadores por episódio. E dizem que só chegou à 2ª temporada porque o canal queria cultivar uma relação com Carrey para estrelar “Kidding”, recém-lançada pelo Showtime.

Carrey envolveu-se como produtor de “I’m Dying Up Here” após se apaixonar pela premissa, que adapta o livro homônimo de William Knoedelseder. Na obra jornalística, os “personagens” são comediantes reais, como Jay Leno, David Letterman, Andy Kaufman, Richard Lewis, Robin Williams, Elayne Boosler e Tom Dreesen. E Carrey, claro, viveu Kaufman no cinema, na cinebiografia “O Mundo de Andy” (1999).



Entretanto, a série alterou todos os nomes, tirando o interesse principal na trama, sobre um grupo de comediantes de stand-up dos anos 1970. A história deveria focar o surgimento dos clubes de comédia e o início da geração mais inovadora do humor americano. Mas o potencial nunca foi atingido e também dividiu a crítica, com 51% de aprovação no site Rotten Tomatoes.

O elenco, ao menos, era de tirar o chapéu: Melissa Leo (“A Grande Aposta”), Michael Angarano (“O Reino Proibido”), Clark Duke (“A Ressaca”), RJ Cyler (“Eu, Você e a Garota que Vai Morrer”), Sebastian Stan (“Capitão América: O Soldado Invernal”), Ari Graynor (“Celeste e Jesse para Sempre”), Andrew Santino (série “Mixology”), Erik Griffin (série “Workholics”), Ginger Gonzaga (“Ted”), Al Madrigal (série “About a Boy”), Stephen Guarino (“Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”), Jake Lacy (série “Girls”), Dylan Baker (“Selma”) e Alfred Molina (“O Amor É Estranho”).

Ao todo, foram produzidos 20 episódios. E a grande ironia disso é que uma série sobre a cena stand-up acabou se tornando o maior sucesso de crítica do ano: “The Marvelous Mrs. Maisel”, da Amazon – vencedora do Emmy 2018.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings