Dave Bautista avisa que sairá de Guardiões da Galáxia se terceiro filme não usar o roteiro de James Gunn



O ator Dave Bautista, intérprete de Drax nos filmes dos “Guardiões da Galáxia”, continua defendendo o diretor James Gunn após a Disney demiti-lo do comando de “Guardiões da Galáxia Vol. 3” e de qualquer projeto relacionado ao estúdio.

O diretor foi demitido em 20 de julho pelo presidente da Disney, Alan Horn, após campanha da extrema direita dos Estados Unidos, que denunciou antigos tuítes ofensivos do diretor com “piadas” de dez anos atrás sobre pedofilia e estupro. Horn classificou as mensagens como “indefensáveis”: “As atitudes ofensivas e as declarações de James no Twitter são indefensáveis e inconsistentes com os valores do nosso estúdio e nós cortamos relações com ele”.

O intérprete de Dax foi o primeiro a discordar, logo no começo da polêmica. E segue sem ter mudado de ideia, a ponto de não querer mais trabalhar nos filmes da Marvel.

Em entrevista ao Shortlist, Bautista revelou que pretende pedir à Marvel para liberá-lo de seu contrato. Após revelar que Gunn já havia entregado o roteiro de “Guardiões da Galáxia Vol. 3”, o ator afirmou que prefere sair da franquia se a história for descartada.

“Minha posição atual é a de que se a Marvel não usar aquele roteiro, então vou pedir para que me libertem do meu contrato, me cortem da produção ou contratem outro ator no meu lugar. Estaria fazendo um desserviço a James caso não agisse”, declarou Bautista.



“Não é o caso de defender os tuítes dele, mas foi uma campanha de difamação contra um homem bom. Conversei com Chris Pratt no dia seguinte ao ocorrido e ele, por ser bastante religioso, queria um tempo para rezar e refletir, mas eu estava mais para: f****** isso. Isso é besteira. James é uma das pessoas mais gentis e decentes que já conheci”, defendeu o ator.

Além de Bautista, vários integrantes da franquia manifestaram-se individualmente e o elenco se juntou numa manifestação coletiva de apoio, publicando uma carta aberta pedindo a recontratação de Gunn.

Além disso, uma petição de fãs com o mesmo objetivo foi criada na internet e já conta com mais de 370 mil assinaturas.

A Disney ainda está negociando detalhes da demissão do diretor, que deve ter direito a uma indenização, já que o estúdio quebrou seu contrato. Os tuítes denunciados foram feitos muitos anos antes de Gunn ser contratado para dirigir os filmes da Marvel, por isso sua demissão não tem justificativa legal.

Nenhuma decisão sobre o roteiro que ele entregou ou sobre seu substituto foi anunciada.



Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings