Diretor de Truque de Mestre 2 também vai filmar resgate dos meninos da Tailândia


Após a produtora americana de filmes evangélicos Pure Flix anunciar seus planos de produzir um “drama inspirador” sobre o resgate do time de futebol dos meninos tailandeses de um complexo de cavernas na Tailândia, o diretor Jon M. Chu (“Truque de Mestre 2” e “G.I. Joe: Retaliação”) divulgou intenção de comandar projeto semelhante.

Americano de origem asiática, Chu anunciou sua iniciativa pelo Twitter, defendendo sua versão como uma forma de impedir Hollywood de se apropriar da história do resgate da caverna tailandesa para contá-la da perspectiva da classe média branca americana. “Eu me recuso a deixar Hollywood embranquecer a história de resgate da caverna da Tailândia. De forma alguma. Não sob nossa vigilância. Isso não vai acontecer, do contrário nós transformaremos a vida deles num inferno. Há ali uma linda história sobre seres humanos salvando outros seres humanos. Portanto, ninguém (melhor que nós) tem condições de abordar essa história de forma correta e respeitosa”, concluiu.

Em tempos de correção política histérica, é interessante ver como Chu usa as redes sociais para diferenciar-se de Hollywood e se identificar com o povo tailandês. Entretanto, ele é nascido e criado na Califórnia, e seu pai é um famoso chef, que tem um restaurante na Califórnia desde os anos 1970. Um restaurante, diga-se, de comida chinesa.

Também deve-se destacar que os produtores da Pure Flix realmente mencionaram planos para “embranquecer” a história. “Eu vejo isso como um grande filme de Hollywood com os maiores astros do Cinema”, disse Michael Scott à agência Australian Associated Press.

Em seu projeto, Chu voltará a se associar com a produtora Ivanhoe, com quem acaba de filmar a comédia “Podres de Rico” (Crazy Rich Asians), e, de acordo com informações da revista Variety, já está em conversas com funcionários do governo tailandês sobre as filmagens.

A saga na Tailândia lembra o resgate de 33 mineiros chilenos que ficaram presos durante 69 dias em 2010, acontecimento que foi transformado no filme “Os 33”, de 2015, estrelado não por chilenos, mas pelo espanhol Antonio Banderas e o brasileiro Rodrigo Santoro, com direção da mexicana Patricia Riggen. Como o resgate chileno, o drama tailandês representa a coragem da vida real diante de circunstâncias angustiantes. Mas, mais importante que isso para Hollywood, ambos tiveram cobertura frenética da mídia mundial. E terminaram com um final feliz.

Veja abaixo os tuítes de Chu sobre a importância de contar a história sob “nossa” perspectiva. Não a perspectiva de um Apichatpong Weerasethakul, mas de um asiático americano que avalia que isso é empoderamento.




Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings