Novo crossover das séries da DC Comics vai introduzir a heroína Batwoman

A rede The CW anunciou um novo crossover anual de suas séries de super-heróis. E a grande novidade é que desta vez a reunião de personagens de “Arrow”, “The Flash”, “Supergirl” e “Legends of Tomorrow” vai incluir Gotham City e introduzir uma heroína do universo de Batman, a Batwoman.

“Nós estaremos fazendo outro evento de crossover neste outono na The CW e estaremos introduzindo um novo personagem. Nós estaremos lutando ao lado de Batwoman”, revelou Stephen Amell, estrela de “Arrow”, durante o evento de apresentação da programação da próxima temporada da emissora – o Upfront – , que aconteceu na noite de quinta-feira (17/5).

O presidente da CW, Mark Pedowitz, confirmou a informação e completou: “Estamos adicionando a cidade de Gotham ao Arrowverse”, e prometeu que o episódio em grupo será “outro evento repleto de ação”.

A participação de Batwoman no crossover representará a primeira vez que a personagem dos quadrinhos ganhará versão em carne e osso – na TV ou mesmo cinema.

Para quem não acompanha quadrinhos, é interessante saber que Batwoman foi a primeira heroína de Gotham City. Ela surgiu 12 anos antes de Batgirl, criada por Edmond Hamilton e Sheldon Moldoff em 1956 como possível interesse romântico de Batman, em resposta às alegações sobre a suposta homossexualidade do herói – denunciada pelo controvertido livro “Sedução dos Inocentes”.

A personagem acabou eliminada em 1964 quando o editor Julius Schwartz resolveu cortar a maioria dos coadjuvantes supérfluos de Batman – havia até um batcão. Mas retornou em 2006, numa versão repaginada pelo evento “52”, que rebutou os quadrinhos da editora. A ironia dessa volta é que ela se assumiu lésbica, tornando-se a mais proeminente heroína LGBT da editora.

Por conta dessa decisão, a maioria das versões de Batwoman que apareceram em séries ou filmes animados da DC Comics – inclusive o longa que tem seu nome no título: “Batman: O Mistério da Mulher-Morcego” – não foram ligados à personagem dos quadrinhos, retratando-a com diferentes identidades. A Warner considerava a personagem oficial muito, digamos, adulta para figurar em produções juvenis. Mas os tempos evoluem. Assim, há dois anos, o lançamento de “Batman: Sangue Ruim” finalmente apresentou a versão animada de Kate Kane, com a voz de Yvonne Strahosky (da série “The Handmaid’s Tale”) e a mesma orientação sexual dos quadrinhos.

Agora, vale lembrar detalhes das séries da DC que antecipam sua chegada à televisão.

Num episódio recente de “Arrow”, exibido em outubro do ano passado, Oliver Queen, o Arqueiro Verde, citou nominalmente Bruce Wayne e Gotham City. Veja abaixo.

Além disso, a temporada passada de “Supergirl” introduziu a policial Maggie Sawyer, vivida por Floriana Lima, que nos quadrinhos chegou a ser noiva de Kate Kane, a Batwoman. As duas só não casaram porque a DC vetou, resultando em pedido de demissão dos responsáveis pela história do casal em 2013.

Ainda não há previsão para a exibição do crossover. No Brasil, as quatro séries são exibidas pelo canal pago Warner.