Morgan Freeman se diz devastado e que nunca praticou assédio sexual na vida


Diante da perda de projetos devido à repercussão negativa de acusações de assédio sexual, trazidas à tona por uma reportagem da CNN na quinta (24/5), o ator Morgan Freeman soltou um segundo comunicado em que rechaça as denúncias, afirmando que nunca praticou assédio em sua vida.

O ator se diz “devastado” por receber tais acusações, afirmando que sua carreira está em risco por causa das denúncias.

“Estou devastado que, aos 80 anos, minha vida corre o risco de ser minada em um piscar de olhos. Todas as vítimas de assédio sexual merecem ser ouvidas e nós devemos ouvi-las. Mas não é justo que casos horríveis de abuso sexual e momentos de elogios fora de lugar e brincadeiras humorísticas sejam coisas equivalentes”, afirmou Freeman.

“Eu admito que sou uma pessoa que sente uma necessidade de fazer mulheres e homens se sentirem apreciados e tranquilos ao meu redor. Por isso, eu muitas vezes brinco e elogio mulheres, de uma forma que sempre pensei ser leve e engraçada. Claramente, eu não fui compreendido da maneira que achei. E é por isso que me desculpei anteriormente, e vou continuar a me desculpar com qualquer pessoa que tenha se sentido ofendida. Mas também gostaria de ser firme: eu nunca criei ambientes hostis de trabalho. Nunca fui um assediador e nunca sugeri dar trabalho a alguém por sexo. Qualquer acusação a este respeito é falsa”, completou o ator.

A denúncia da CNN trouxe acusações de oito mulheres que atestaram conduta inapropriada e assédio sexual do ator. Outras oito pessoas confirmaram as acusações. O caso mais sério teria ocorrido com uma assistente de produção de “Despedida em Grande Estilo”, que afirmou que Freeman a tocou sem consentimento nas costas e fez comentários sobre o seu corpo e suas roupas durante toda a produção, que durou meses.

“Ele ficava tentando levantar a minha camisa e perguntava se eu estava de lingerie”, contou a mulher, que não teve o nome revelado. Segundo ela, o assédio foi tão grande que o ator Alan Arkin, que também estava no elenco do filme, mandou Freeman parar.

Alan Arkin não atendeu pedidos da CNN para corroborar a história.



Outro caso teria ocorrido nas filmagens de “Truque de Mestre”, de 2013. A CNN ouviu uma mulher envolvida na produção do filme, que revelou ter sido assediada pelo ator em várias oportunidades, também com comentários sobre o seu corpo. Outras mulheres da equipe passaram pelo mesmo problema, segundo a fonte não identificada.

Houve, porém, uma pessoa que se identificou. Para justificar a reportagem, uma das jornalistas responsáveis revelou que tinha sido motivada por interesse próprio em denunciar o ator. Ela afirma ter ficado chocada ao fazer uma entrevista e receber um elogio fora de lugar, que considerou assédio sexual. Estava grávida e Freeman teria dito que queria estar lá, supostamente dentro dela.

A afirmação forte foi acompanhada pelas imagens da entrevista, que parecem mostrar outra coisa, um comentário de Freeman sobre uma declaração de Michael Caine, sentado a seu lado, sobre um equívoco que cometeu ao elogiar uma grávida que era apenas gorda. A impressão que a reprodução da entrevista dá é que Freeman gostaria de estar lá para ver isso.

Outra cena de bastidores de uma entrevista com o ator, trazida pelas duas repórteres que assinam a denúncia, também mostraram exagero na busca de imagens para corroborar um suposto escândalo. A cena apresentada registra uma troca de elogios sorridentes entre o ator e uma entrevistadora, cujo assunto de sua aparência e o fato de estar solteira foram trazidos à tona pela própria jornalista.

Vale a pena considerar se a acusação contra Morgan Freeman não é uma caça às bruxas iniciada por conta de um equívoco e levada à extremos por situações corriqueiras. Um homem de 80 anos é obviamente mais machista que uma jovem de 20. Mas será que isso o torna automaticamente um Harvey Weinstein?

Veja abaixo o vídeo da CNN e as “provas” apresentadas para justificar a reportagem, que já custou projetos ao astro veterano e levou o próprio Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (SAG) a considerar rever uma homenagem feita a ele no começo do ano por sua carreira premiada.


Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings