2ª temporada de Star Trek: Discovery vai incluir o Sr. Spock?

 

O final da 1ª temporada de “Star Trek: Discovery”, exibida no domingo (11/2) nos Estados Unidos e disponibilizada nesta segunda na Netflix, trouxe uma surpresa para os fãs da franquia. Ao atender um pedido de socorro, a tripulação da Discovery acabou encontrando outra nave da Frota Estelar. E o spoiler é grande. Os parágrafos a seguir revelam o cliffhanger do primeiro ano da série.

Segundo os showrunners Aaron Harberts e Gretchen J. Berg, a decisão de introduzir a nave Enterprise na trama foi uma decisão tomada no início da temporada. “Enquanto estávamos traçando esta temporada e o que queríamos fazer na próxima, pensamos: ‘Vamos contar esta história agora'”, eles disseram ao site The Hollywood Reporter.

Berg compara o encontro com um “elefante na sala”, já que coloca, de um lado, Michael Burnham (Sonequa Martin-Green) e Sarek (James Frain) na Discovery, enquanto o filho de Sarek e irmão adotivo de Burnham pode estar a bordo da Enterprise. Sim, trata-se de Spock.

“Uma hora teríamos que dar reconhecimento e interagir com esta outra nave e seus tripulantes que estão por aí”, diz ela. “Embora a nossa série seja chamada ‘Discovery’ e nosso foco principal seja sempre as pessoas na ‘Discovery’, também estamos vivendo dentro do universo ‘Star Trek'”, ela pondera.

Originalmente, a trama de “Discovery” se passava uma década antes dos eventos do filme “Star Trek” (2009), mas uma viagem inesperada para outra dimensão fez com que a nave avançasse no tempo, retornando, no penúltimo episódio, nove meses depois para o Sistema Solar. Isto aproximou um pouco mais a cronologia da série das tramas cinematográficas.

Mas há um detalhe que impediria a presença de Spock na Enterprise que encontra a Discovery. Enquanto Spock foi Oficial de Ciências da tripulação comandada pelo Capitão Pike na série clássica dos anos 1960, ele ainda seria adolescente ou, no máximo, estudante da Academia da Frota Estelar na nova cronologia estabelecida pelo reboot de 2009. Assim, se Spock aparecer, “Discovery” será um prólogo da série “Jornada nas Estrelas” (1966-1969) e não do filme “Star Trek”.

O que é certeza é a presença do Capitão Christopher Pike na ponte de comando. O personagem foi vivido por Jeffrey Hunter no piloto rejeitado de “Jornada nas Estrelas”, em 1964, mas acabou integrado na cronologia oficial num episódio duplo da 1ª temporada, que reaproveitou as cenas anteriormente gravadas com a tripulação “original” da Enterprise – Pike, Spock (Leonard Nimoy) e a Número Um (Majel Barrett), entre outros. Pike também era o capitão da Enterprise no começo do filme “Star Trek”, vivido por Bruce Greenwood.

“Certamente, não estamos confirmando que vamos apresentar Spock e, certamente, não vamos contratar um novo ator para esse papel”, diz Harberts. “Sabemos o quão incríveis foram as performances de Leonard Nimoy e Zachary Quinto e o que a série original e o diretor do filme ‘Star Trek’, JJ Abrams, conseguiram desencadear com esse personagem. Nunca encontraríamos outro ator que pudesse chegar perto do que Leonard Nimoy fez com o papel original”.

Ainda assim, “Star Trek: Discovery” já provou que é uma série onde tudo pode acontecer – até deixar os fãs frustrados com um desfecho pífio para o conflito entre os klingons e a Federação (deixaram Akiva Goldsman, o homem que enterrou ‘A Torre Negra’, escrever o episódio).

Já confirmada, a 2ª temporada de “Star Trek: Discovery” só deve estrear em 2019.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings