Franquia John Wick vai virar série com Keanu Reeves e diretor dos filmes

A franquia cinematográfica “John Wick”, estrelada por Keanu Reeves, vai virar série. O anúncio foi feito pelo canal pago americano Starz durante o evento de imprensa semestral da TCA (Television Critics Association).

Reeves é um dos produtores do projeto e também irá aparecer na série, mas não será o protagonista. Isto porque a trama será centrada num elemento da franquia e não no personagem John Wick. Os episódios vão acompanhar as idas e vindas dos hóspedes do Hotel Continental, um endereço “privê” que serve de refúgio para assassinos profissionais.

Intitulada “The Continental”, a série está sendo desenvolvida por Chris Collins, roteirista de “The Wire” e “Sons of Anarchy”, com produção da equipe criativa do filme – que também inclui os diretores Chad Stahelski e David Leitch, o roteirista original Derek Kolstad e Reeves.

“Esta série é verdadeiramente diferente de qualquer outra coisa na TV”, disse o CEO da Starz, Chris Albrecht, no painel da TCA. “‘The Continental’ promete incluir as estrondosas sequências de luta e os tiroteios intensamente coreografados entre assassinos profissionais e seus alvos que os fãs esperaram de ‘John Wick’, bem como apresentar alguns personagens novos e obscuros que habitam este mundo subterrâneo”.

Stahelski dirigirá o piloto caso o roteiro seja aprovado pelo Starz, que tem a palavra final sobre a produção da série. Por enquanto, apenas o roteiro foi encomendado.

Mas tem um detalhe que praticamente sela o negócio. Os filmes e a série têm produção do estúdio Lionsgate, que comprou o canal Starz em 2016, justamente com o objetivo de capitalizar suas franquias no desenvolvimento de séries televisivas.

Além da série, Stahelski voltará a dirigir Reeves num terceiro filme, “John Wick: Chapter 3”, previsto para maio de 2019. E ainda há planos para um spin-off centrado numa assassina letal.

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings