Sindicato dos Atores vai vistoriar set de Riverdale após acidente do protagonista



O Sindicado dos Atores dos Estados Unidos, conhecido pela sigla SAG-AFTRA, afirmou que fará vistorias no set de “Riverdale”, em Vancouver, no Canadá, após o protagonista da série, K.J. Apa, sofrer um acidente de carro. O ator teria dormido ao volante e batido o carro num poste de luz, como resultado de um dia de trabalho de mais de 14 horas.

“Essa é uma situação muito preocupante e estamos profundamente preocupados com a segurança dos atores no set de ‘Riverdale'”, disse o sindicato, em comunicado. “Estamos mandando uma equipe para Vancouver para observar as circunstâncias que envolvem questões de segurança afetando os atores nessa produção.”

A Warner Bros Television, que produz a série, emitiu um comunicado a respeito do acidente, abordando também as acusações de excesso de trabalho, que teriam causado o acidente.

“Em primeiro lugar, estamos extremamente gratos de que KJ Apa não tenha sido ferido durante seu recente acidente. Em segundo lugar, queremos abordar especificamente a caracterização de que as condições no set de ‘Riverdale’ são motivo de preocupação. Temos um grande elenco de regulares de série, e nossos atores não funcionam todos os dias. No dia do acidente, KJ trabalhou 14,2 horas. No dia anterior, ele trabalhou 2,5 horas, e no dia anterior trabalhou 7,7 horas. KJ tem sido repetidamente informado sobre informar a produção se ele estiver cansado ou se sentir inseguro e, se assim for, será providenciado uma carona ou um quarto de hotel. O acidente ocorreu na última quinta-feira. Além disso, não é verdade que KJ foi levado para o hospital. Ele foi tratado pelos primeiros socorristas em cena e liberado por eles. Nós também enviamos um médico para sua casa mais tarde no mesmo dia para um acompanhamento para confirmar o seu bem-estar”.



A questão é tão polêmica que, antes do acidente, o ator Michael Rosenbaum, que trabalhou com a CW quando viveu Lex Luthor em “Smallville”, afirmou ao podcast Inside of You que estes problemas são antigos. Ele contou que Tom Welling chegava a trabalhar 18 horas por dia e tinha que acordar às 4h30 no dia seguinte, e era proibido ter motorista particular no set naquela época. “Acho que chegou num ponto em que todos nós assinamos uma carta para Welling, porque consideramos: ‘vocês vão matar o Superman’.”

Porém, estas jornadas de trabalho longas não são exclusividade da CW. Há dois anos, um motorista da equipe de “Longmire”, Gary Joe Tuck adormeceu ao volante e bateu o carro em uma rodovia do Novo México, morrendo após trabalhar uma turno de 18 horas. Antes disso ainda, o assistente de câmera Brent Hershman morreu ao colidir seu carro com um poste, após trabalhar 19 horas seguidas no set de “A Vida em Preto e Branco” (1998).

Turnos menores são uma reclamação antiga de atores, cineastas e outros membros das equipes de produção. Na tentativa de economizar, os estúdios montam cronogramas de trabalho de 12 a 16 horas por dia. Embora seja costume montar investigações como a do SAG-AFTRA após este tipo de incidente, para garantir condições de trabalho adequadas, dificilmente são tomadas providências, por medo de quem denunciar entrar numa lista negra e não conseguir mais emprego em outras produções.



Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings