Festival de Toronto anuncia sua seleção com filmes de George Clooney e Angelina Jolie



Considerado o evento de cinema mais importante da América do Norte, o Festival de Toronto anunciou parte da programação de sua 42ª edição. E, como sempre, a seleção está cheia de filmes com potencial para disputar o Oscar.

Entre os selecionados, estão os novos longas-metragem de Darren Aronofsky (“mother!”), Guillermo del Toro (“The Shape of Water”), Stephen Frears (“Victoria and Abdul”), Scott Cooper (“Hostiles”), Joe Wright (“Darkest Hour”), Craig Gillespie (“I, Tonya”), George Clooney (“Suburbicon”), Angelina Jolie (“First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers”) e o casal Jonathan Dayton e Valerie Faris (“Battle of the Sexes”), além de obras de cineastas europeus renomados, como Wim Wenders (“Submergence”) e Joachim Trier (“Thelma”), e obras premiadas em Cannes que buscam vaga no Oscar de Melhor Filme de Língua Estrangeira

Na edição deste ano — que teve a programação reduzida em 20%, após pedidos da crítica —, 33 filmes serão exibidos na mostra de “Exibições Especiais”, e apenas 14 terão sua estreia no Festival, na mostra “Gala”. Isto se deve à concorrência cada vez mais acirrada de outros festivais – Toronto acontece simultaneamente a eventos em Telluride, nos Estados Unidos, e Veneza, na Itália, e ainda sofre a competição do Festival de Nova York por premières exclusivas.

No ano passado, “La La Land”, do diretor Damien Chazelle, foi o vencedor do festival canadense e acabou premiado com seis estatuetas no Oscar 2017.

A edição deste ano acontece entre os dias 7 e 17 de setembro na cidade de Toronto, no Canadá. Confira abaixo a lista completa dos primeiros títulos anunciados.


MOSTRA DE GALA

“Breathe”, de Andy Serkis
“Stronger”, de David Gordon Green
“The Catcher Was a Spy”, de Ben Lewin
“Darkest Hour”, de Joe Wright
“Film Stars Don’t Die in Liverpool”, de Paul McGuigan
“Kings”, de Deniz Gamze Ergüven
“Long Time Running”, de Jennifer Baichwal e Nicholas de Pencier
“Mary Shelley”, de Haifaa Al-Mansour
“Depois Daquela Montanha”, de Hany Abu-Assad
“Mudbound”, de Dee Rees
“The Wife”, de Björn Runge
“Woman Walks Ahead”, de Susanna White

EXIBIÇÕES ESPECIAIS

“Battle of the Sexes”, de Jonathan Dayton e Valerie Faris
“120 battements par minute”, de Robin Campillo
“The Brawler”, de Anurag Kashyap
“The Breadwinner”, de Nora Twomey
“Call Me By Your Name”, de Luca Guadagnino
“Catch the Wind”, de Gaël Morel
“The Children Act”, de Richard Eyre,
“The Current War”, de Alfonso Gomez-Rejon
“Disobedience”, de Sebastián Lelio
“Downsizing”, de Alexander Payne
“A Fantastic Woman”, Sebastián Lelio
“First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers”, de Angelina Jolie
“The Guardians”, Xavier Beauvois
“Hostiles”, de Scott Cooper
“The Hungry”, de Bornila Chatterjee
“I, Tonya”, de Craig Gillespie
“Lady Bird”, de Greta Gerwig
“mother!”, de Darren Aronofsky
“Novitiate”, de Maggie Betts
“Omerta”, de Hansal Mehta
“Plonger”, de Mélanie Laurent
“The Price of Success”, de Teddy Lussi-Modeste
“Professor Marston & the Wonder Woman”, de Angela Robinson
“The Rider”, de Chloé Zhao
“A Season in France”, de Mahamat-Saleh Haroun
“The Shape of Water”, de Guillermo del Toro
“Sheikh Jackson”, de Amr Salama
“The Square”, de Ruben Östlund
“Submergence”, de Wim Wenders
“Suburbicon”, de George Clooney.
“Thelma”, de Joachim Trier
“Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”, de Martin McDonagh
“Victoria and Abdul”, de Stephen Frears



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings