Still Star-Crossed: Série que continua a história de Romeu e Julieta ganha primeiro comercial


A rede ABC divulgou uma foto e o primeiro comercial de “Still Star-Crossed”, nova série de época aprovada para a próxima temporada. A trama é baseada no livro homônimo da escritora Melinda Taub e encena uma continuação racialmente anacrônica da tragédia clássica “Romeu e Julieta”, de William Shakespeare.

Além de revelar o que aconteceu com as famílias Capuleto e Montecchio após a morte de Romeu e Julieta, a atração vai mostrar um novo romance juvenil. Isto porque o clima beligerante entre os rivais faz com que o Príncipe Escalus (Sterling Sulieman, da série “Pretty Little Liars”) conclua que a única forma de trazer paz a Verona é fazendo com que as duas famílias se unam em matrimônio. Assim, Benvolio (o australiano Wade Briggs, da série “Home and Away”), primo de Romeu, é o escolhido para se casar com Rosaline (a britânica Lashana Lynch, de “Entre Amigas”), prima de Julieta. Mas, ao contrário do casal original, os dois não se amam. Ainda assim, são obrigados a concordar com a união para salvar suas vidas, a de suas famílias e a do povo de Verona.

O elenco ainda inclui Torrance Coombs (série “Reign”), Zuleikha Robinson (série “Lost”), Anthony Head (série “Dominion”), Grant Bowler (série “Defiance”) e Gregg Chillin (série “Da Vinci’s Demons”).



A série foi desenvolvida por Heather Mitchell, coprodutora das séries “Grey’s Anatomy” e “Scandal”, e conta com produção de Shonda Rhymes, criadora, justamente, de “Grey’s Anatomy” e “Scandal”.

Como já é praxe nas produções da Shondaland, que costumam se destacar por elencos racialmente integrados, “Still Star-Crossed” dá destaque em seu elenco para atores negros, abrindo mão da precisão histórica para miscigenar a família italiana de Romeu e Julieta, sem levar em conta que o único personagem negro de William Shakespeare foi o mouro Otello, na peça que leva seu nome. Nesta versão, até Romeu é negro (o inglês Lucien Laviscount, da série “Scream Queens”).



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings