Documentário Danado de Bom vence o festival Cine-PE


O documentário “Danado de Bom”, de Deby Brennand, foi o grande vencedor do 20º Cine-PE, levando os troféus Calunga de Melhor Filme, Fotografia, Montagem e Edição de Som. Único documentário na mostra competitiva de longas, o filme traça um perfil do compositor João Silva, parceiro de Luiz Gonzaga que morreu em 2003 e não chegou a ver o trabalho pronto.

“Danado de Bom” foi o único filme aplaudido de pé em todo o Cine PE-2016. Com um tema popular – o forró – , ele já tinha sido exibido no festival É Tudo Verdade, onde não chamou tanta, para não dizer nenhuma, atenção. O mais curioso, entretanto, é que na hora de definir seu prêmio, o público preferiu outro longa, ignorando sua suposta popularidade.

Longa mais premiado da noite, “Por Trás do Céu”, de Caio Sóh, venceu o troféu do júri popular e também conquistou quatro categorias da premiação do juri: Melhor Roteiro (do próprio Caio Sóh), Ator Coadjuvante (Paulo Góes), Atriz Coadjuvante (Paula Burlamaqui) e Direção de Arte.

O troféu de Melhor Direção ficou com Rodrigo Gava, pela animação “As Aventuras do Pequeno Colombo”, enquanto os prêmios de interpretação foram para os dois protagonistas do filme “Leste Oeste”, Felipe Kannenberg e Simone Iliescu. Dirigido por Rodrigo Grota, “Leste Oeste” tinha sido o longa mais elogiado do evento…

Além dos prêmios “oficiais”, o veterano cineasta Luiz Rosemberg Filho, que apresentou “Guerra do Paraguay” na competição, recebeu um Calunga especial pelo conjunto da obra. “Guerra do Paraguay” ainda foi considerado o Melhor Filme do festival na votação da crítica.

Ou seja, com apenas seis longas em competição, o Cine-PE só deixou de premiar a comédia “O Prefeito”, de Bruno Safadi, evidenciando o loteamento que costuma resultar de uma amostragem limitada. Outro problema derivado dessa opção, por sinal, acabou prejudicando a festa da premiação: a ausência da maioria dos vencedores, que não compareceram ao evento para receber seus troféus. Diante do acumulo de desculpas, ficou a sensação de desprestígio do festival.

Um dos mais importantes festivais de cinema do país, o Cine-PE aconteceu de 2 a 8 de maio, em Pernambuco, trazendo, ainda, 18 curta-metragens. A ficção “Redemunho”, estreia na direção da atriz Marcélia Cartaxo (sempre lembrada por “A Hora da Estrela”), ganhou o prêmio de Melhor Curta. Os títulos dos demais premiados podem ser conferidos abaixo, na lista completa dos vencedores.


Vencedores do Cine-PE 2016

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS

Melhor Filme
Danado de Bom (PE), de Deby Brennand

Melhor Direção
Rodrigo Gava, por As Aventuras do Pequeno Colombo (RJ)

Melhor Roteiro
Caio Sóh, por Por Trás do Céu (SP)

Melhor Fotografia
Jane Malaquias, Pablo Nóbrega e Pedro Von Kruger, por Danado de Bom (PE)

Melhor Edição
Jordana Berg, por Danado de Bom (PE)

Melhor Edição de Som
Ernesto Sena e Antonio de Pádua, por Danado de Bom (PE)

Melhor Trilha Sonora
Ary Sperling, por As Aventuras do Pequeno Colombo (RJ)

Melhor Direção de Arte
Ana Isaura, Zeno Zanardi e Kennedy Mariano, por Por Trás do Céu (SP)

Melhor Ator Coadjuvante
Renato Góes, por Por Trás do Céu (SP)

Melhor Atriz Coadjuvante
Paula Burlamaqui, por Por Trás do Céu (SP)

Melhor Ator
Felipe Kannenberg, por Leste Oeste (PR)

Melhor Atriz
Simone Iliescu, por Leste Oeste (PR)


Prêmio Especial do Júri
Luiz Rosemberg Filho, pelo conjunto de sua obra e contribuição ao cinema brasileiro

Prêmio da Crítica (júri da Abraccine)
Guerra do Paraguay, de Luiz Rosemberg Filho (RJ)

Prêmio do Júri Popular
Por Trás do Céu, de Caio Sóh (SP)

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS

Melhor Filme
Redemunho, de Marcélia Cartaxo (PB)

Melhor Direção
Marcello Sampaio, por O Coelho (RJ)

Melhor Roteiro
Marcélia Cartaxo e Virginia de Oliveira, por Redemunho (PB)

Melhor Atriz
Ingrid Cairo, por O Coelho (RJ)

Melhor Ator
Daniel Porpino, por Redemunho (PB)

Melhor Fotografia
Marcello Sampaio, por O Coelho (RJ)

Melhor Direção de Arte
Hermerson Souza, por This is not a Song of Hope (PE)

Melhor Edição de Som
Alexandre Barcellos e Felipe Mattar, por Das Águas que Passam (ES)

Melhor Trilha Sonora
Lívio Tragtemberg, Naná Vasconcellos e Villa Lobos, por Gramatyka (DF)

Melhor Edição
Guto BR, por O Último Engolervilha II (RJ)

Prêmio do Júri Popular
O Coelho, de Marcello Sampaio (RJ)

Prêmio da Crítica (júri da Abraccine)
Paulo Bruscky, de Walter Carvalho (PE)

Prêmio Canal Brasil
Redemunho, de Marcélia Cartaxo (PB)

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS PERNAMBUCANOS

Melhor Filme
Maria, de Carol Correia

Melhor Direção
Tauana Uchôa, por Não Tem Só Mandacaru

Prêmio do Júri Popular
Diva, de Luiz Rodrigues Jr.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings