YouTube/Guilherme de Pádua

Guilherme de Pádua grava vídeo com pedido de perdão pelo assassinato de Daniella Perez

Após dizer que não se manifestaria sobre a morte de Daniella Perez (1970-1992), Guilherme de Pádua voltou atrás da “decisão definitiva” e gravou um vídeo para Gloria Perez, mãe da atriz. Nesta terça (2/8), o assassino de Daniella justificou-se dizendo que precisava pedir desculpas após o novo julgamento público causado pelo lançamento da série “Pacto Brutal”, da HBO Max.

“Sempre disse que o meu maior sonho era poder pedir perdão”, declarou Pádua no vídeo, publicado no YouTube.

“Talvez eu nunca tenha uma oportunidade real de pedir perdão. Por isso, Gloria Perez, eu te peço perdão por todo o sofrimento que te causei. Jamais esqueci daquele encontro na carceragem, nunca esqueci”, continuou.

Ele também se dirigiu ao ex-marido da atriz. “Raul Gazolla, eu te peço perdão, nunca esqueci do dia que fui chamado na delegacia, você estava lá e se arrastou até mim, me abraçou chorando. Ali vi que era a pior pessoa do mundo”, afirmou.

Agora pastor, Guilherme de Pádua deixou escapar que a gravação do vídeo era resultado de pressão de fiéis e não uma manifestação, digamos, espontânea.

“Muitas pessoas, inclusive algumas que se dizem cristãs, têm me julgado e declarado que não acreditam na minha conversão porque não viram um vídeo meu com um pedido de perdão para a família, os amigos, as pessoas que fiz sofrer com o crime que cometi”, comentou.

“Ainda que pareça estranho um cristão ‘lacrar’ ao julgar que outra pessoa não é cristã de verdade, não tiro a razão de quem duvida da minha conversão, até porque eu mesmo duvido muitas vezes da minha conversão. Não sou uma pessoa normal, é óbvio. Alguém que cometeu um crime tem mil pensamentos que não são comuns”, continuou.

Para completar, ele demonstra consciência de que está fazendo o vídeo para ele e não para os familiares de Daniella.

“Sei que esse pedido de perdão talvez não vá significar nada, mas quero deixar registrado. Não que isso vá realmente gerar um perdão, porque um perdão é um dom de Deus, tem mais a ver com quem perdoa do que com quem é perdoado. Se estivesse no lugar de vocês, provavelmente não perdoaria. Então, não espero, mas deixo registrado”.

Guilherme de Pádua desativou os comentários para evitar maior reação do público ao vídeo.