Divulgação/Globoplay

Conheça “Rensga Hits!”, série sobre universo do “feminejo”, que a Globo lança nesta quarta

A série “Rensga Hits!”, que terá seus dois primeiros episódios exibidos na faixa “Cinema Especial” da Globo, nesta quarta-feira (3/8), chega com a ambição de transformar o protagonismo feminino da música sertaneja numa trama para a televisão.

Produzida para a plataforma de streaming Globoplay, a atração pretende trazer muitos hits e canções inéditas, além de histórias saídas das letras dos grandes sucessos do “feminejo”.

“A ideia era criar uma história que espelhasse os hits cantados por mulheres: que se divertem, que se embebedam, que choram a perda do amor… Também queríamos mostrar outras caras do Brasil, mostrar Goiânia como essa potência de música”, explicou a produtora Carolina Alckmin (“De Volta aos 15”) sobre a inspiração do projeto, em entrevista ao jornal O Globo.

Escrita por Renata Corrêa (“Silêncio da Chuva”), a trama acompanha Raíssa (Alice Wegmann, de “Onde Nascem os Fortes”), uma jovem do interior que viaja para a cidade grande com o intuito de se tornar cantora. Ela começa a fazer pequenas apresentações em um restaurante, mas logo descobre que uma de suas composições foi roubada e gravada por outra cantora, Gláucia (Lorena Comparato, de “Impuros”), o que inicia uma rivalidade entre as duas.

Para o papel, Wegmann se baseou em Marília Mendonça (que originalmente participaria da atração, mas acabou morrendo antes), chegando a estudar o jeito dela falar e cantar. “Minha personagem em ‘Rensga Hits!’, a Raíssa, foi desde sempre uma homenagem a ela em vida. Nossa maior referência e inspiração”, a atriz escreveu no Instagram.

No terceiro episódio da série, a “rainha da sofrência” chega a ser citada como referência.

Mas o ponto de partida da história da Raíssa tem outro pretexto narrativo: a descoberta de que seu noivo tem uma amante e um filho. É a velha história da infidelidade, tão decantada em sucessos populares – como “Infiel”, da citada Marília Mendonça – , com direito a outros detalhes típicos. A personagem abandona o noivo no altar, no interior, e pega seu carro velho para ir até Goiânia em busca de seu sonho.

“Nada como um chifre para dar uma reviravolta na vida, não é mesmo? É o melhor impulso que alguém pode ter”, brincou Alice Wegmann ao falar sobre a personagem.

Apesar de assumir o tom de comédia, a trama aborda temas sérios como machismo e a diferença salarial entre homens e mulheres, questões feministas que ganham ainda maior projeção no universo sertanejo. Além disso, a série também vai apresentar algo raro nesse mundinho: uma dupla de cantores negros.

Na trama, Jeniffer Dias (“Amor de Mãe”) interpreta a cantora Thamyres, que faz dupla com seu irmão Theo (Sidney Santiago, de “Segunda Chamada”).

“Eles são uma dupla sertaneja preta, eu nunca tinha visto antes”, disse ela. “Sou carioca, do samba, um dia me perguntaram: ‘Quem do sertanejo você ama, quem é a sua referência?’. Não tinha, não vi ninguém parecido comigo.”, disse a atriz em entrevista à Folha de S. Paulo.

Em sua pesquisa para o papel, Dias conversou com as irmãs Barbosa e pesquisou o trabalho de cantores como como Cascatinha e Inhana, Rick e João Paulo. Os poucos exemplos que ela conseguiu encontram refletem um problema sistêmico.

“A série trazer uma dupla sertaneja preta é uma forma de subverter isso, de fazer com que isso mude de alguma forma”, acredita a atriz.

Além disso, ela elogia desenvolvimento da sua personagem. “Thamyres me lembra muito a força e a sensibilidade das mulheres que apesar das adversidades conseguiram dar a volta por cima de alguma forma.”

Outra que destacou a força de sua personagem foi a atriz Fabiana Karla (“De Perto Ela Não é Normal”), que interpreta Helena, a dona de uma gravadora na série.

“É uma mulher extremamente forte, a meta de vida dela é ter sucesso. Ela vai passando por cima de todo mundo e, aos olhos dos outros, ela é uma máquina. Tem uma vida de muito sucesso e luxuosa. Eu estava numa fase muito ‘para dentro’, e a Helena me trouxe uma fortaleza, uma coragem”, disse ela ao Globo.

A produção também destaca em seu elenco Deborah Secco (“Salve-se Quem Puder”), Stella Miranda (“Carnaval”), Guida Vianna (“Valentins”), Maurício Destri (visto num clipe recente de Manu Gavassi), Alejandro Claveaux (“Coisa Mais Linda”) e ainda marca a volta de Lúcia Veríssimo às telas, oito anos após “Amor à Vida” (2013). E para entrar no espírito dos personagens, todos passaram três meses em Goiânia.

A preparação foi intensa, com aulas de canto e sotaque, e encontros com pessoas importantes desse universo. Alice Wegmann, por exemplo, nunca tinha cantado profissionalmente. “Cantar é meu lugar de vulnerabilidade, me sinto pelada. No meu aniversário de 2020, o Francisco Gil [músico e neto de Gilberto Gil] me deu um violão e me incentivou a tocar e cantar, mas fazia isso em casa”, ela explicou.

As músicas que ela vai apresentar são composições da dupla Bibi e Dudu, que já trabalhou com nomes como Michel Teló e Gusttavo Lima.

Wegmann imagina que a junção de todos esses fatores serão capazes de produzir um grande sucesso – senão na música, na televisão. “‘Rensga Hits!’ se comunica com o Brasil inteiro, com a família toda, com qualquer um que goste de música. É uma série que passa por todas as emoções de um jeito muito divertido, e o Brasil precisa rir um pouco”, aponta.

Após a exibição dos dois primeiros episódios, com direção de Leandro Neri (“Socorro, Virei uma Garota!”) e Carolina Durão (“A Vila”), a série passará a ser disponibilizada semanalmente na Globoplay. Já na quinta, os fãs poderão acompanhar os quatro primeiros capítulos na plataforma de streaming.