Instagram/Katy Perry

Katy Perry vai estrelar filme animado

A cantora Katy Perry vai viver a personagem-título de “Melody”, um novo longa-metragem musical de animação criado e dirigido pelo francês Jeremy Zag, criador de “Miraculous: As Aventuras de Ladybug” (no ar desde 2015). Ela revelou as primeiras imagens da produção na noite de terça (10/5) em seu Instagram.

Além de estrelar, Katy Perry vai cantar músicas inéditas no desenho e será uma das produtoras, ao lado de Zag e Michael Gracey, o diretor “O Rei do Show” (2017).

Na trama, Melody é uma cantora de bom coração e insegura que deve superar os planos malignos de Rose Stellar, uma rainha do pop ciumenta e perversa que prometeu destruí-la. Em seu arsenal, Melody possui sete notas musicais que a diferenciam e possuem qualidades mágicas, ajudando a guiar sua bússola moral.

Falando ao site Deadline, Zag contou que o filme está em sua cabeça há anos, mas foi um desafio chegar num roteiro que transmitisse uma mensagem de empoderamento em um mundo fantástico que tem a música em sua essência. Ele cita a colaboração com Perry como fundamental para ajudar a dar foco à história.

“É muito complexo, mas depois de todos esses anos estou feliz por não ter feito isso antes, porque só agora me sinto pronto”, ele disse. “Melody é alguém que tem que acreditar em si mesma e, para isso, ela tem que aprender a se amar antes de considerar como as pessoas a olham. Grandes estrelas pop vivem em castelos dourados, são famosas com paparazzi por toda parte, mas para uma garotinha nesse meio há paixão e medo. E eu nunca vi ninguém tão criativo quanto Katy tão bem personificar essa personagem.”

Perry também comentou o tema da produção.

“Sou uma mulher de 37 anos que ainda luta por se sentir insegura”, ela afirmou ao Deadline. “Percebi que todo mundo é inseguro, e se você não é, eu me pergunto se você tem algumas características negativas por causa disso”.

“Sou uma grande fã do mundo da animação e, como minha filha tem dois anos, estou mais imersa nisso do que nunca. O que ressoou para mim com Melody e sua personagem foi o enredo geral que tem a ver com autoconfiança. Eu percebi, ao tentar criar condições para que minha própria filha seja destemida, confiante e corajosa, que nunca é demais ter filmes com temas fortes de empoderamento”, continuou.

“Melody é uma ótima personagem, autoconsciente, a passou por dificuldades ao perder sua irmã, que se tornou uma guia espiritual. Ela vai para a cidade grande e se sente realmente sozinha. Já passei por esse processo, saindo da minha cidadezinha de Santa Bárbara para Los Angeles aos 17 anos, tendo que fazer um novo grupo de amigos. E quase tive que contar apenas com a minha imaginação, assim como Melody, que tem que confiar em suas sete notas mágicas”.

O filme tem produção da Cross Creek, empresa que realizou filmes premiados como “Os 7 de Chicago” e “Cisne Negro”, e que vai buscar parceiros internacionais no evento de mercado do Festival de Cannes, que começa na próxima terça (17/5).