Divulgação/Globo

Globo ignora racha entre Arthur e Lucas no “BBB” de quinta

A edição do “BBB 22” exibida na noite de quinta-feira (10/3) na rede Globo acabou favorecendo Arthur Aguiar por não exibir o principal “causo” da noite anterior, dia da festa do líder Pedro Scooby.

Não só isso. A edição deu ênfase a uma sondagem de Lucas Bissoli para ingressar no quarto Lollipop – destacada não uma nem duas, mas três vezes! – , sem incluir o contexto, situação que pode alimentar em breve uma narrativa do ex-rival de Jade Picon.

A ausência da polêmica envolvendo Arthur rendeu comentários nas redes sociais. No mínimo, deixou claro que quem acompanha o reality show pela TV aberta não recebe informações fundamentais para votar conscientemente nos paredões do programa.

A seleção de cenas para contar a “história” dos confinados é tão importante que pode gerar – como tem gerado – rejeição de alguns candidatos. Quem aparece menos na TV aberta é automaticamente rotulado como “planta”. Mas há casos mais polêmicos, envolvendo campanhas de ódio por ênfases em frases exibidas pela metade (exemplo aleatório: “errar é bom” é diferente de “errar é bom, porque o que você aprende e faz com esse erro é importante”), exaltação de equívocos diante da ausência de imagens do mesmo erro praticado por outros, perseguição narrativa para criar vilões e heróis, etc.

Embora essa discussão seja complexa, o fato é que uma trollagem avaliada como flopada pelos críticos de TV e redes sociais ocupou grande parte do programa televisivo, enquanto o público da Globoplay esperava ver uma edição com tira-teimas e cronologia de fatos para ilustrar o racha entre aliados que movimentou a madrugada.

A ausência da nova performance dramática de Arthur ajudou a demonstrar que quem vê pelo streaming está acompanhando um programa diferente.

O que aconteceu na madrugada de quinta dividiu opiniões e rachou o favoritismo de quem até ontem era considerado imbatível para vencer o prêmio de R$ 1,5 milhão.

Tudo começou na segunda (7/3), quando Eliezer do Carmo Neto acusou Lucas de combinar votos em Tiago Abravanel, indo contra seu grupo de apoio. A denúncia prosperou e enquanto Lucas falava para a namorada Eslovênia Marques que pretendia falar sobre isso com Arthur, o melhor amigo de Tiago no jogo se antecipou e foi cobrar a história. Lucas não mentiu e admitiu o fato, lembrando a cronologia e o que ele entendia que tinha sido combinado, mas foi rotulado como mentiroso e traidor por ter omitido a conversa com Eli até então – ele não teria visto necessidade de falar disso após Tiago desistir do jogo.

Arthur passou a considerar a conversa de Lucas com Eli uma quebra de confiança, lembrando discussões que realmente existiram sobre Tiago ser sua prioridade. Ele chegou a desabafar com Paulo André de Oliveira, o P.A., que era a segunda facada que tomava – a primeira foi de Jade. Em seguida, falou com Eli, que destilou um caminhão de ódio contra Lucas, aumentando a história com o objetivo de queimar o rival. Cada palavra foi visivelmente saboreada por Arthur, que entre interjeições de desaprovação, pareceu preparar mentalmente um discurso de indicação ao paredão.

Nas redes sociais, porém, um número expressivo de pessoas não comprou a 2ª temporada da vitimização.

Primeiro, porque Lucas era alvo de Tiago, que votava no “Barão da Piscadinha”. Segundo, porque Lucas nunca escondeu e falava abertamente para Arthur sobre a possibilidade de votar em Tiago. Terceiro, porque quando poderia ter votado em Tiago, como líder, atendeu ao pedido de Arthur e optou por mirar em Brunna Gonçalves. Quarto, porque não organizou votação contra Tiago e nem combinou voto com o Lollipop, só falou para Eli que considerava Tiago uma opção melhor para um paredão em que ele já estava incluído – acabou se safando no “Bate e Volta”. Quinto, porque também trabalhou com votos contra Larissa no quarto Grunge, movimento típico de seu perigoso jogo (duplo) de navegar entre os grupos. Sexto, porque trouxe a informação da votação do Lollipop em Tiago para Arthur na noite anterior às indicações da casa. E sétimo, porque nessa conversa, da qual também participou Gustavo Marsengo, os três combinaram que salvariam Tiago. Mas para isso dar certo, Tiago precisaria votar em Larissa.

Ao ser chamado para participar da estratégia, Tiago teve uma reação inesperada. Pediu para pensar e, sentindo-se rejeitado, acabou optando por sair do programa.

Apesar dessa cronologia, Arthur acusou Lucas de traição e iniciou o afastamento de quem o colocou no VIP, comparando-o a Jade, que o indicou três vezes ao paredão. Lucas sentiu o golpe e buscou apoio na namorada do quarto Lollipop – daí, as conversas com sorrisos amarelos exibidas na Globo.

Os fã-clubes do ex-“Rebelde” encheram a hashtag #BBB22 de comentários sobre a facada que o Lucas deu nas costas do Arthur. Boa parte do público aleatório concordou que foi isso mesmo – em resumo, bora tacar o Lucas traidor no paredão.

Outros preferiram questionar a rapidez com que Arthur se voltou contra um aliado por uma traição que efetivamente não aconteceu – Lucas não combinou votos e nem votou em Tiago. Toda a cronologia dos fatos foi discutida em detalhes exaustivos, ainda que muitos argumentos fossem “traição é traição”.

Em meio às acusações contra Lucas, ainda houve o resgate de duas situações: que Arthur deixou Tiago sozinho na prova do líder e depois teve uma conversa muito complicada sobre expectativas de jogo com o amigo. Os dois momentos aconteceram na véspera da decisão de Tiago e podem ter influenciado sua saída do jogo.

O público da Globo, porém, não viu essa bola de neve começar a rolar.

Só que ela deve crescer muito nos próximos capítulos, a ponto de não poder mais ser ignorada. Afinal, a narrativa preferida de Arthur no jogo, até agora, foi se apresentar como vítima e dizer que joga sozinho. Sem Jade, sua grande rival, manter esta história depende do surgimento de um novo vilão.

Caso vá em frente no perceptível plano de jogar seu aliado no paredão, Arthur pode perder a invulnerabilidade que o protegeu até agora. Embora continue favorito, porque o público da Globoplay é infinitamente menor que o da Globo, as discussões nas redes sociais sinalizam que o movimento noturno abalou sua unanimidade.

Ironicamente, o autointitulado Barão da Piscadinha entrou no “BBB” como uma piada, foi considerado planta e, do nada, virou o “coadjuvante” principal e assumido do favorito do público. Promovê-lo agora a vilão pode não ser tão fácil.

Se o erro de Jade foi insistir em Arthur, o erro de Arthur pode ser mirar em Lucas.

Difícil saber como a Globo vai contar esta história daqui pra frente, após ter ignorado o capítulo que lançou a premissa. Mas esse enredo está longe de acabar.