Instagram/Amanda Bynes

Amanda Bynes segue Britney Spears e pede fim de tutela após nove anos

Depois de Britney Spears, a atriz Amanda Bynes também busca se livrar de sua tutela judicial. Atualmente com 35 anos, a estrela da série “Coisas Que Eu Odeio Em Você” (What I Like About You, 2002-2006) e do filme “Ela é o Cara” (2006) apresentou documentos judiciais para encerrar a tutela que sua mãe, Lynn Bynes, exerce sobre sua vida e carreira há nove anos.

Segundo a revista Variety, Bynes apresentou uma declaração de capacidade mental para provar que pode tomar decisões por conta própria.

A publicação informa que seu psiquiatra relata que ela “não tem deficiência aparente no estado de alerta e atenção, informação e processamento, ou capacidade de modular o humor e o afeto, e não sofre de distúrbios do pensamento”.

Uma audiência está marcada para o dia 22 de março.

Bynes está sob tutela desde agosto de 2013, quando foi hospitalizada em uma clínica psiquiátrica por supostamente iniciar um pequeno incêndio diante da garagem de um vizinho.

Seus problemas, na verdade, começaram um ano antes disso.

Em 2012, ela chegou a ser presa duas vezes por dirigir embriagada e bater seu carro – numa das ocasiões, colidiu com a traseira de um veículo policial. Ela protestou num tuite em que pediu ao então presidente Barack Obama a demissão do policial que a tinha detido, e continuou dirigindo mesmo após ter a carteira de motorista apreendida, até seu carro ser confiscado pelo crime.

O site TMZ ainda relatou que diversas pessoas que frequentavam a mesma academia que a atriz, em Los Angeles, testemunharam que ela passou a se comportar de forma confusa, falando sozinha ou rindo histericamente sem nenhum motivo aparente.

Mas Bynes poderia estar apenas chapada, uma vez que, no começo de 2013, foi presa novamente após denúncia do porteiro de seu prédio, que chamou a polícia alegando que havia alguém fumando maconha no lobby do edifício. Quando os policiais chegaram, a atriz já estava no seu apartamento, mas eles encontraram um bong (tipo de purificador de ervas usado por alguns consumidores da droga). E quando foi indaga a respeito do recipiente, ela simplesmente o jogou pela janela, “atingindo a calçada cheia de pedestres”, na descrição do boletim de ocorrência.

A atriz acabou detida por conduta desordeira, ocultação de evidência e posse de drogas. E teria sido levada sob custódia esperneando: “Vocês sabem quem eu sou?”.

Após a detenção, ela foi levada para o hospital Roosevelt para uma avaliação psiquiátrica, mostrando-se indignada contra a humilhação. Embora tenha sido liberada pelo juiz de seu caso, foi expulsa de seu apartamento pelo síndico.

Dois meses depois, provocou um incêndio, usando gasolina para queimar roupas na rua. O fogo explodiu o galão de gasolina. Ao dar respostas desencontradas aos bombeiros que foram ao local, acabou internada numa clínica para avaliação psiquiátrica e um juiz colocou sua mãe como responsável por sua tutela.

Desde então, ela não se meteu mais em confusão. Mas também não trabalhou mais como atriz.

Seu último trabalho foi em 2010, quando coadjuvou a comédia “A Mentira”, estrelada por Emma Stone.