Divulgação/MGM

Sean Penn faz apelo para que EUA enfrente Rússia

O ator e diretor Sean Penn (“Milk”), que está na Ucrânia filmando um documentário sobre o ataque da Rússia ao país, pediu para que os Estados Unidos intervenham na guerra. Para Penn, os EUA pode perder a primazia da defesa dos valores democráticos caso não se envolvam diretamente na crise diplomática.

“Já é um erro brutal, com vidas ceifadas e corações destroçados, e se ele não ceder, acredito que Putin terá cometido um erro terrível para toda a humanidade. O presidente Zelensky e o povo ucraniano ergueram-se como símbolos históricos de coragem e princípios. A Ucrânia é a ponta da lança para o abraço democrático de sonhos. Se permitirmos que ela lute sozinha, nossa alma como Estados Unidos da América está perdida”, declarou o ator em um comunicado.

Diante do arsenal nuclear da Rússia, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que tropas americanas e da OTAN não entrarão na Ucrânia para combater soldados russos, mas ofereceu apoio de armas e recursos para a defesa do país.

Caso o conflito ultrapasse as fronteiras da Ucrânia, pode dar início à 3ª Guerra Mundial, desta vez envolvendo várias nações com armas de destruição em massa.

Penn está na Ucrânia desde novembro passado, trabalhando num documentário sobre o conflito com a Rússia para a produtora Vice.

Ele é conhecido por atuar em causas políticas e humanitárias. Em 2010, criou a CORE, uma organização sem fins lucrativos em resposta aos terremotos no Haiti. A entidade cresceu e passou a ajudar no combate à covid-19 durante a pandemia, enviando testes e vacinas para todo o país.

Nos últimos dias, a CORE tem trabalhado no auxílio das vítimas da enchente de Petrópolis, no Brasil, e no resgate dos refugiados em fuga da Ucrânia.