Instagram/The Academy

Leonardo DiCaprio vai viver líder da seita do massacre de Jonestown

O ator Leonardo DiCaprio está em negociações avançadas com a MGM para estrelar um filme sobre Jim Jones, o líder de uma seita que, em 18 de novembro de 1978, promoveu o massacre de mais de 900 seguidores.

Além de estrelar, DiCaprio negocia participar da produção com sua empresa, Appian Way.

O roteiro foi escrito por Scott Rosenberg (das franquias “Venom” e “Jumanji”) e se dedica a contar a história do pastor que fundou o Templo dos Povos na cidade de Indianapolis, nos Estados Unidos, em 1955, e que, depois de realizar supostos milagres, decide construir a cidadela de Jonestown, na Guiana, que ele considerava um paraíso utópico, livre da opressão do capitalismo dos Estados Unidos.

Em meio a denúncias de abusos humanos, o governo americano enviou uma delegação liderada pelo congressista Leo Ryan ao local, em novembro de 1978. O político e repórteres da rede NBC que o acompanhavam foram metralhados pelos seguidores de Jones, que em seguida celebraram o ato que entrou para a História. Embora costume ser chamado de suicídio coletivo, muitos seguidores que tomaram veneno não sabiam o que estavam fazendo, já que ele foi servido na bebida. Entre os 918 membros mortos da comunidade, 304 eram crianças.

Ainda não há previsão de estreia para “Jim Jones”.

DiCaprio será visto a seguir em duas produções de streaming, contracenando com Jennifer Lawrence na comédia “Não Olhe para Cima”, de Adam McKay, prevista para 24 de dezembro na Netflix, e no western criminal “Killers of the Flower Moon”, de Martin Scorsese, que vai chegar na Apple TV+ no fim de 2022.

Veja abaixo uma reportagem do programa americano “Today”, da NBC, sobre a tragédia.