Divulgação/ABC

Grey’s Anatomy: Isaiah Washington diz que Ellen Pompeo foi paga pra não denunciar Patrick Dempsey

O ator Isaiah Washington, que deu vida ao cardiologista Preston Burke em “Grey’s Anatomy”, deu uma entrevista bomba sobre os bastidores da série, da qual foi demitido na 3ª temporada.

Seu alvo foi o colega Patrick Dempsey, que acusou de racismo e comportamento tóxico no set das gravações.

Segundo o ator, Ellen Pompeo, protagonista da trama, teria recebido uma fortuna para não denunciar o comportamento “tóxico” de Dempsey na série.

Washington explicou, em entrevista ao programa de rádio KBLA Talk, que quando explodiu o movimento “Me Too”, com denúncias de assédio de alguns nomes poderosos de Hollywood, a produção de “Grey’s Anatomy” teria desembolsado US$ 5 milhões para não expor Dempsey, que viveu o Dr. Derek Shepherd por 11 temporadas e recentemente reapareceu para um arco de participação especial na 17ª temporada da atração.

O assunto veio à tona como comentário das revelações feitas pela jornalista Lynette Rice no livro “How to Save a Life: The Inside of Grey Anatomy”, que classificou Dempsey como o “terror” do set de gravações da série e disse que ele tinha “problemas de RH”. Isaiah confirmou as acusações feitas por Rice.

“Ninguém o queria na série. Eles queriam Rob Lowe”, iniciou. “Ele não era um cara legal desde o primeiro dia. Mas ele até gostou de mim e, assim que conversei com ele, ele disse: ‘Isaiah, você sabia que os homens brancos são os mestres do universo?’. E eu disse: ‘Você realmente acredita nisso?’. E ele disse ‘absolutamente'”, contou, expondo um suposto racismo do colega.

O próprio Isaiah Washington teve “problemas de RH” na produção, sendo forçado a deixar o elenco de “Grey’s Anatomy” após manifesta r comportamento homofóbico.

Ele explicou que disse o que disse durante, justamente, uma discussão com Patrick Dempsey. Washington afirmou que Patrick não podia faltar com o respeito e falar com ele da mesma forma em que fazia “com aquele bicha do T.R”, em referência ao ator T.R. Knigh, que é gay assumido. A expressão homofóbica causou sua demissão e marcou negativamente sua carreira.

Washington alega que sua demissão aconteceu para torná-lo um “bode expiatório” e “para encobrir o comportamento tóxico e péssimo de muitos dos meus ex-colegas de elenco… E no topo disso estava Patrick Dempsey”.