Instagram/Britney Spears

Documentário revela que Britney Spears era espionada pelo pai

O documentário “Controlling Britney Spears”, feito em sigilo e lançado de surpresa na noite de sexta-feira (24/9) na plataforma Hulu, revelou que o pai da cantora pop instalou escuta no quarto dela para espioná-la, além de contratar uma empresa de segurança para monitorar os telefonemas e mensagens de texto da artista

No documentário, Alex Vlasov, um ex-funcionário da Black Box Security, disse ter trabalhado com a equipe da cantora por quase nove anos e que a empresa tinha acesso ao telefone de Spears e instalou um dispositivo de escuta em seu quarto.

Procurado pela equipe da produção, um advogado de Jamie Spears, responsável pela tutela de Britney, não negou a vigilância. Em vez disso, afirmou que o monitoramento estava “dentro dos parâmetros da autoridade conferida a ele pelo tribunal”.

De acordo com Vlasov, a Black Box espelhou o telefone da cantora pop em um iPad ao fazer login em sua conta do iCloud, conferindo a eles acesso a todas as suas atividades e a todas as mensagens que ela enviou, incluindo mensagens de texto e e-mails.

Ele disse que lhe solicitaram a criptografia de algumas das conversas de texto de Spears para que pudessem ser enviadas ao pai dela, Jamie Spears, e a um funcionário de uma empresa de gestão de negócios que ele havia contratado.

De acordo com o documentário, o gravador de áudio ‘captou mais de 180 horas de áudio, incluindo as interações e conversas de Britney com seu namorado e seus filhos’, que Vlasov aparentemente tem à sua disposição para provar o grau de vigilância a que Britney Spears estava submetida.

“Controlling Britney Spears” é uma continuação de “Framing Britney Spears”, que chamou atenção mundial para o escândalo da tutela da cantora pop.

A tutela judicial em questão foi estabelecida em 2008, após internação de Britney em clínica de reabilitação, e determinada numa audiência judicial de 10 minutos, que deixou o pai da cantora como responsável por todas as decisões relativas a sua vida.

A decisão controversa perdura até hoje e enriqueceu Jamie Spears. Mas desde o lançamento de “Framing”, o caso ganhou novos e dramáticos desdobramentos, culminando na ida de Britney ao tribunal para denunciar o próprio pai por situação análoga à escravidão. Ela também conseguiu trocar o defensor indicado pela corte por um advogado de sua própria escolha. E graças à repercussão midiática da situação, levou Jaime a anunciar sua disposição de desistir da tutela da filha.

Com a mesma equipe de “Framing”, comandada pela diretora Samantha Stark e a produtora-roteirista Liz Day, “Controlling” chegou à Hulu quatro dias antes de um documentário similar desembarcar na Netflix. “Britney vs. Spears”, que estreia na próxima terça (28/9), prometeu fazer revelações similares.

Por sinal, a produção desses filmes, com depoimentos e vazamento de dados controversos, pode estar por trás da súbita mudança do pai de Britney em relação à manutenção da tutela. E também ajudam a explicar a decisão do advogado de Britney de não aceitar acordo, decidindo ir até o fim no processo.

“Framing Britney Spears” foi lançado no Brasil pela Globoplay, mas ainda não há previsão para a chegada da continuação no mercado nacional.