Instagram/Britney Spears

Empresa que quer abandonar tutela de Britney Spears será ouvida na Justiça

A juíza Brenda Penny, que tem negada todas as petições de Britney Spears para acabar com sua situação de tutoria forçada, marcou uma audiência para analisar o pedido da empresa Bessemer Trust, que quer abandonar a tutela da cantora, atualmente dividida com o pai dela, Jamie Spears.

A empresa de gerenciamento de fortunas peticionou sua retirada do arranjo comercial, afirmando que tomou a decisão em “respeito ao desejo” da artista.

De acordo com os documentos apresentados ao tribunal na quinta (1/7), a Bessemer Trust declarou que acreditava que a tutela de Spears era “voluntária” e que ela consentia que a empresa atuasse como cotutora. Entretanto, após as denúncias de abuso feitas pela cantora, ficou claro que ela é contra o acordo e deseja que seja encerrado.

Na semana passada, Britney Spears disse ao tribunal que considerava abusivo o acordo jurídico estabelecido em 2008, que tornou seu pai responsável por todas as decisões de sua carreira, por suas finanças e por sua vida pessoal. Ela revelou que se sentia uma escrava, forçada a tomar um medicamento à base de lítio contra sua vontade, obrigada a fazer shows e impedida de se casar e de remover um dispositivo de controle de natalidade para que pudesse tentar engravidar.

A Bessemer Trust foi aprovada apenas no ano passado pela Corte Superior de Los Angeles para agir como cotutora dos ativos financeiros de Spears, um total de US$ 60 milhões, ao lado do pai da artista, Jamie Spears – que até então era o único tutor da fortuna. A decisão foi reforçada na quarta (30/6) pela juíza Brenda Penny, ao negar o pedido do advogado da cantora para que o pai dela deixasse de ser responsável por seu patrimônio.

A empresa informou que ainda não tomou nenhuma medida em relação aos ativos de Spears, nem cobrou qualquer taxa, pois esperava documentos adicionais da Justiça que a autorizassem a agir. Entretanto, diante de “circunstâncias alteradas” do projeto de tutoria, incluindo “o fato de que a tutelada reivindicou danos irreparáveis aos seus interesses”, não quer mais assumir a responsabilidade pelas finanças da cantora.

O caso agora será ouvido no tribunal, numa audiência que a juíza Brenda Penny marcou para o dia 14 de julho.