Divulgação/UniFrance

Atriz francesa acusa diretor de atirar celular em seu rosto

Os bastidores do Festival de Cannes ficaram agitados neste domingo com a informação de que a atriz Judith Chemla (“A Vida de uma Mulher” e “Camille Outra Vez”) não comparecerá a première de seu filme, “Mes Freres et Moi”, que estava prevista para segunda-feira (12/7). O motivo alegado é que o diretor do longa-metragem, Yohan Manca, que também é seu namorado, teria atirado um celular no rosto dela.

Chemla denunciou o ataque na polícia. De acordo com o boletim de ocorrência, a situação aconteceu em Paris no dia 3 de julho.

A revista americana Variety buscou mais detalhes e ouviu de fontes que Chemla e Manca começaram a discutir na rua na capital da França, quando o diretor “ficou violento” e “jogou um celular na cara” da atriz.

O casal tem uma filha e estava junto há cinco anos.

As fontes da Variety ainda informaram que Manca também cancelou seus planos de comparecer à première. Ele está atualmente em Paris cuidando da filha, enquanto Chemla participa de outro evento, o Festival de Avignon.

“Mes Freres et Moi” faz parte da seleção da mostra Um Certo Olhar, principal seção paralela de Cannes. Em 2019, último ano em que o festival aconteceu, o vencedor desta mostra foi o filme “A Vida Invisível”, do diretor brasileiro Karim Aïnouz.