Divulgação/Globo

Globo dispensa novelista Elizabeth Jhin após 30 anos

A escritora Elizabeth Jhin foi dispensada da Globo, ao não ter seu contrato renovado depois de 30 anos. Autora de novelas de temáticas místicas, ela assinou “Eterna Magia” (2007), “Escrito nas Estrelas” (2010), “Amor Eterno Amor” (2012), “Além do Tempo” (2015) e “Espelho da Vida” (2018).

Em comunicado, a Globo repetiu sua explicação já padrão para o encerramento do vínculo.

“O contrato com o Elizabeth Jhin não foi renovado. E, como todos sabem, a Globo, em sintonia com as transformações pelas quais passa o mercado, vem adotando novas dinâmicas de trabalho com seus talentos. A não renovação de um contrato não significa o final de uma parceria. Ao contrário, o novo modelo de gestão de talentos permite que essa parceria seja renovada em muitos outros formatos e projetos futuros. Elizabeth Jhin tem abertas as portas da empresa para futuros projetos em nossas múltiplas plataformas”, diz o texto oficial da emissora.

“Fechou-se um ciclo em que as alegrias superaram em muito os momentos difíceis”, acrescentou a novelista, em depoimento à colunista Patricia Kogut. Longe de ficar abalada, Jhin disse que já teve duas propostas de trabalho, mas que no momento quer apenas descansar.

Colaboradora de novelas desde 1991, ela também teve parcerias de sucesso com outros grandes autores, como Walter Negrão (“Tropicaliente”, em 1994), Manoel Carlos (“Felicidade”, em 1991), Euclydes Marinho (“Andando nas Nuvens”, em 1999) e Gloria Perez (“Caminho das Índias”, em 2009).

Atualmente, a Globo estuda reprisar “Além do Tempo”, que ocuparia o lugar de “A Vida da Gente”, caso a inédita “Nos Tempos do Imperador” não esteja completamente gravada até agosto.

Por sinal, “Além do Tempo” é uma das tramas mais populares entre os pedidos de reprises das redes sociais.