Divulgação/The CW

Allison Mack se diz arrependida de ter recrutado mulheres para seita sexual

A atriz Allison Mack, conhecida por viver Chloe Sullivan em “Smallville”, fechou um acordo com os promotores que investigam a seita de escravidão sexual NXIVM, que recomendaram leniência da Justiça em relação à sua participação no caso escandaloso.

Mack tem entregado provas e servido como testemunha importante da acusação, e graças a sua participação os promotores conseguiram condenar o falso guru Keith Raniere a 120 anos de prisão.

Junto da recomendação dos promotores federais para que ela não passe nenhum período de tempo atrás das grades, a atriz acrescentou uma carta de caráter pessoal endereçada ao juiz do caso, Nicholas Garaufis, em que pede desculpas por sua participação na seita.

“Agora é de suma importância para mim dizer, do fundo do meu coração, que eu sinto muito”, diz o texto do documento, revelado pela imprensa americana neste sábado (26/6).

“Eu me joguei nos ensinamentos de Keith Raniere com tudo o que tinha. Eu acreditava, do fundo do coração, que sua orientação estava me levando a uma versão melhor e mais iluminada de mim mesma. Dediquei minha lealdade, meus recursos e, em última análise, minha vida a ele. Este foi o maior erro e arrependimento da minha vida”, acrescentou Mack.

A promotoria federal recomendou que ela receba um sentença leve pela cooperação no processo contra o fundador da NXIVM. Graças a ela, os promotores obtiveram uma fita de áudio, tocada em várias ocasiões durante o julgamento de Raniere, em que o suposto guru defendia o ato de marcar suas iniciais em membros da seita, que ele denominou textualmente como “escravas”.

Gabando-se de que seus membros incluíam atores de Hollywood e atletas profissionais, Raniere atraiu vários adeptos a seu programa de autoajuda, que se tornou extremamente popular e, conforme crescia, passou a incluir diversos subgrupos, entre eles o DOS (“Dominus Obsequious Sororium”), formado só por mulheres atraentes e que funcionava como uma seita sexual, onde as integrantes eram marcadas com as iniciais do guru, forçadas a seguir dietas estritas e não saudáveis, e transformadas em escravas sexuais por meio de chantagem.

Mack, que atraiu várias mulheres para o DOS, aguarda sua sentença em liberdade, mas chegou a ser presa pelo FBI em 20 de abril de 2018, sob acusações de tráfico sexual, conspiração de tráfico sexual e conspiração de trabalho forçado, relativos ao seu papel como uma das principais recrutadoras da NXIVM.

Ela se confessou culpada e está sujeita a cumprir até 17 anos de prisão. O juiz do caso vai se manifestar em 30 de junho.

O escândalo da NXIVM rendeu duas séries documentais, “Seduced: Inside the NXIVM Cult”, na Starz, e “The Vow”, renovada para a 2ª temporada na HBO, que nos novos episódios vai abordar justamente o julgamento dos envolvidos.