Divulgação/HBO

Atriz de Game of Thrones diz ter sido agredida, esfaqueada e perseguida com machado por Marilyn Manson

A atriz Esmé Bianco, que interpretou a prostituta Ros em “Game of Thrones”, revelou ter sofrido violência e tortura física de Marilyn Manson. Em entrevistas ao site The Cut, que faz parte do New York Magazine, ela contou ter sido vítima de agressão do cantor, corroborando a denúncia de Evan Rachel Wood (da série “Westworld”), que iniciou um efeito cascata ao acusá-lo de abusar “terrivelmente” dela, num post publicado nas redes sociais na semana passada.

Após escrever no Instagram que também era uma sobrevivente, referindo-se à manifestação de Wood, Esmé Bianco contou os detalhes. E aparentemente foi uma luta pela sobrevivência mesmo. Entre as acusações, ela diz que o cantor a agrediu, esfaqueou e até chegou a correr atrás dela com um machado.

Segundo a atriz, Marilyn Manson é um “predador em série” que “quase me destruiu e quase destruiu diversas mulheres”.

Os dois se conheceram em 2005 por meio de uma amiga comum – a atriz burlesque Ditta Von Tease, então namorada de Manson. Mas ela só se envolveu com ele muitos anos depois, após o cantor convidá-la a estrelar a gravação do clipe de “I Want to Kill You Like They Do in the Movies”. Ela contou que Manson a avisou que ela “deveria fingir que era maltratada”. Mas durante o trabalho, não houve fingimento.

Ela conta que passou os três dias seguintes em lingerie, mal dormindo ou comendo, com Manson servindo cocaína em vez de comida. Ela relata que ele perdia a paciência e jogava a câmera longe. Logo, se tornou violento com ela, amarrando-a com cabos numa posição de oração, açoitando-a com um chicote, e usando um brinquedo sexual elétrico chamado Varinha Violeta em seus ferimentos – o mesmo tipo de “dispositivo de tortura” que Wood disse ter sido usado nela. Bianco revelou ter se apavorado, mas tentou se acalmar dizendo a si mesma que “era apenas Manson sendo teatral. Vamos fazer uma grande arte”.

Depois dessa experiência, Manson passou a assediá-la. Ele sempre a procurava quando estava em Londres. “Prepare sua lingerie e saltos”, ele escreveu em um e-mail.

O cantor a convenceu a ir aos Estados Unidos em 2010 para estrelar um filme que estava desenvolvendo, “Phantasmagoria”, inspirado em Lewis Carroll (o criador de “Alice no País das Maravilhas”). Ela conta que seu visto na época dependia daquele projeto, e quando quis fugir de Manson, ela temeu que o cantor sabotasse seu visto como vingança.

Bianco diz que Manson a levou para a casa dele, onde passou a torturá-la. Ele a mordia durante o sexo sem seu consentimento, deixando todo seu corpo machucado. Em uma ocasião, cortou seu torso com uma faca. “Eu apenas me lembro de estar deitada lá, e não lutei contra isso”, disse a atriz ao Cut. “Foi uma espécie de gota d’água em que perdi todo o senso de esperança e segurança”.

Alguns dos cortes e contusões feitos por Manson deixaram cicatrizes permanentes em seu corpo.

Ele também controlava sua agenda. “O que vestiria e quando poderia sair”. Até mesmo que horas podia dormir. “Eu costumava acordar sendo violentamente sacudida se fosse dormir sem permissão”.

Além disso, era humilhada sempre que os dois recebiam visitas. Logo que “Game of Thrones” estreou, Manson passou a exibir para os amigos uma cena de sexo da atriz e dizia para todos, “Essa é minha namorada, ela é uma vadia”.

“Eu me sentia como uma prisioneira. Para ligar para minha família, eu me escondia no armário”, relatou a artista.

O ponto final foi a briga em que Marilyn Manson começou a correr atrás dela com um machado. Após isso, em junho de 2011, a atriz fugiu da casa dele enquanto o cantor dormia.

Bianco disse que ainda sofre de estresse pós-traumático por causa dos poucos meses que viveu com ele.

Manson jamais terminou as filmagens de “Phantasmagoria”, que também contavam com Evan Rachel Wood no papel de Alice. O clipe de “I Want to Kill You Like They Do in the Movies” também nunca foi lançado.