Divulgação/Planalto

Governo FHC vai ganhar documentário do diretor de Menino 23

O período da presidência de Fernando Henrique Cardoso vai ganhar um longa e uma minissérie documental. Visando lançamento em junho, quando FHC completa 90 anos, o documentário vai se chamar “Presidente Improvável” e refletir sobre sua era presidencial (1995-2003) e o momento atual do Brasil.

Dirigido por Belisário Franca (do premiadíssimo documentário “Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil”) e produzido pela Giros Filmes, o projeto será posteriormente desdobrado numa série de cinco episódios, ainda sem nome. A ideia é que a minissérie siga mais rigorosamente a cronologia e o contexto do Brasil e do mundo do que o documentário, que vai dar mais espaço para os pensamento do ex-presidente do Brasil.

O documentário pretende analisar acertos, erros e conceitos de FHC por meio de conversas do ex-presidente com mais de 20 convidados. Gilberto Gil, Pedro Malan, Raul Jungmann, Celso Lafer e até o ex-presidente americano Bill Clinton estão entre os que já gravaram depoimentos.

Para 2021, é aguardada a confirmação de nomes como o do ex-primeiro ministro britânico Toni Blair, do ex-primeiro ministro português Antonio Guterrez e Graça Machel, viúva de Nelson Mandela.

Um dos pontos altos do filme, a conversa com Gil, girou em torno de Ruth Cardoso, de quem o cantor era muito próximo durante o governo FHC por causa da atuação social da então primeira-dama. Segundo a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, artista passou a gravação inteira chamando Fernando Henrique de professor porque, segundo ele, trata-se de “um grande mestre”.

Já com Clinton, o papo com “o amigo Cardoso” foi sobre o atual contexto mundial. Segundo eles, houve uma mudança de governantes que representavam o “nós” e toda a comunidade, para mandatários que só pensam no “eu”, tanto internamente quanto na política internacional.