Divulgação/Disney

Amber Heard intima Disney e polícia de Los Angeles a revelar informações sobre Johnny Depp

Se o público acha que já sabe de todos os podres possíveis de Johnny Depp, as próximas batalhas jurídicas do ator prometem transformar as revelações do processo que ele perdeu no ano passado contra o jornal The Sun em mero teaser.

Depp processou sua ex-esposa, Amber Heard, em US$ 50 milhões por insinuar ter sofrido violência doméstica durante o casamento, e ela reagiu com seu próprio processo de US$ 100 milhões por ele difamá-la e tentar destruir a carreira dela. E em preparação para ambos os casos, a equipe de advogados da estrela de “Aquaman” protocolou intimações para o Walt Disney Motion Picture Group e o Departamento de Polícia de Los Angeles revelaram documentos e prestarem testemunhos sobre o comportamento do ator.

Nas intimações enviadas nesta quarta (13/1), Heard não quer apenas a papelada da Disney sobre o que realmente se passou nos bastidores das filmagens de “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar”. Ela pretende extrair um depoimento oficial do estúdio sobre o assunto.

O documento pede “todas as informações relacionadas a documentos e comunicações de qualquer natureza” sobre Depp e “incidentes de uso de drogas ou álcool (incluindo uso suspeito de drogas ou álcool)” do ator. Além disso, busca detalhes sobre “quaisquer atrasos causados ​​pelo Sr. Depp”, “quaisquer incidentes de violência ou abuso por parte do Sr. Depp”, qualquer informação sobre a influência do ator em “contratações e elenco” e “desentendimentos com escritores, diretores ou produtores durante a filmagem, edição e/ou no lançamento de ‘Piratas 5’”.

Além disso, para aprofundar o possível espetáculo público, os advogados de Heard querem “todas as informações relativas a todos os documentos e comunicações de qualquer natureza entre a Disney e o Sr. Depp de 1° de janeiro de 2018 até o presente.”

O filme de menor bilheteria da franquia “Piratas do Caribe” nos EUA foi lançado em maio de 2017, após uma série de supostos problemas de produção perturbadores. Em um ponto, toda a filmagem na Austrália foi interrompida e custou milhões à Disney, já que Depp teve de ser levado para os Estados Unidos para uma cirurgia. O ator cortou a ponta de um de seus dedos no que teria sido uma briga, alimentada por drogas, com Heard.

Na verdade, a franquia “Piratas do Caribe” desempenhou um grande papel nesse caos jurídico desde o início.

Depp processou Heard no tribunal estadual da Virgínia por US$ 50 milhões em março de 2019 depois que ela escreveu um artigo no jornal Washington Post sobre ser vítima de violência doméstica. O texto de dezembro de 2018 nunca mencionou Depp, mas o litigioso ator alegou que isso prejudicou sua reputação e custou-lhe seu papel no planejado reboot de “Piratas do Caribe”.

O processo aberto pelo ator diz que, na verdade, ele é que é a verdadeira vítima no breve casamento do casal, que terminou em 2016, com a atriz aparecendo no tribunal do divórcio com o rosto machucado e com Depp proibido de se aproximar dela. “A Sra. Heard não é vítima de violência doméstica, ela é uma perpetradora”, diz o documento processual.

Heard rebateu com seu próprio processo de US$ 100 milhões. Recentemente, Depp tentou fazer com que o caso da atriz fosse rejeitado, mas não conseguiu. Em novembro do ano passado, ele também perdeu sua ação de difamação contra o jornal The Sun, no Reino Unido, que o chamou de “espancador de esposa”. O juiz desse processo aceitou o testemunho de Heard e considerou que Depp é um homem capaz de violência doméstica.

Os advogados da atriz também querem, para os novos processos, que a LAPD entregue “filmagens da câmera do corpo” de dois policiais e “todos os documentos e comunicações de qualquer natureza gerados, enviados ou recebidos relativos às ligações para o 911 relativas à residência de Depp em 21 de maio de 2016, ligadas à Sra. Heard”. Referindo-se ao incidente contestado por Depp, que levou aos pedidos de uma ordem de restrição e ao divórcio logo em seguida, a intimação abrangente acrescenta que “isso inclui todos os relatórios internos e externos, comunicações e outros documentos”.

Talvez no mais revelador dos objetivos de ambas as intimações, o pedido do LAPD também quer “todos os documentos e comunicações de qualquer natureza com o Sr. Depp e/ou qualquer um dos agentes do Sr. Depp, advogados ou outros que agiram em seu nome, de 21 de maio de 2016 até o presente”. Os advogados de Heard estabeleceram um prazo de 8 de fevereiro para os policiais de Los Angeles entregarem o material.

As intimações certamente causarão repercussões e alimentarão os tabloides sensacionalistas com muitas revelações impactantes.