YouTube/Kevin Spacey

Kevin Spacey ressurge falando em suicídio em vídeo de Natal

Kevin Spacey manteve sua tradição de aparecer, feito Grinch, com um vídeo novo no Natal. Pelo terceiro ano consecutivo, o ator de “House of Cards”, que foi exilado de Hollywood após diversas acusações de abusos sexuais, deu as caras para assustar com uma mensagem pouco natalina, desta vez comentando sobre suicídio.

“Tantos me procuraram para falar sobre as coisas terem ficado tão ruins para eles que pensaram em tirar suas próprias vidas. A qualquer um que esteja lutando ou contemplando essa ideia, por favor, não dê esse passo”, diz Spacey no vídeo.

Na mensagem gravada em um parque, ele pede, sem máscara de proteção, que as pessoas se cuidem, procurem ajuda e ainda deseja um feliz 2021 para os espectadores.

“Neste momento, durante este feriado e além, mesmo que você não sinta, há pessoas por aí que entendem e podem ajudar, porque você não está sozinho. Só quero desejar um Feliz Natal a todos, um ótimo 2021 e diga a todos aqueles que podem estar sofrendo que fica melhor. Tudo fica melhor”, finaliza.

Vale lembrar que, horas após a mensagem mórbida de Spacey no ano passado, sugerindo matar com bondade, um dos acusadores do ator cometeu suicídio.

O escritor norueguês Ari Behn se suicidou no Natal passado aos 47 anos. Ex-marido da princesa da Noruega Martha Louise, Behn era um autor de peças de teatro reconhecido em seu país e, em 2017, denunciou Spacey por tê-lo apalpado durante um evento do Prêmio Nobel da Paz. No mesmo ano, o escritor e a princesa Martha Louise se divorciaram, um acontecimento inédito na família real norueguesa.

Depois da morte do acusador, o processo contra o ator acabou cancelado na corte de Los Angeles. Spacey também teve outro processo, movido por um rapaz que tinha 18 anos na época do assédio, retirado abruptamente na véspera de ir a julgamento.

As acusações surgirem após um colega de Spacey, Anthony Rapp (série “Star Trek: Discovery”) relatar ao site Buzzfeed que tinha sido assediado sexualmente por ele em 1986, quando tinha 14 anos. Desde então, as denúncias se multiplicaram.

O ator chegou a ser investigado por oficiais do Departamento de Abuso Infantil e Ofensas Sexuais de Los Angeles, que coletaram um total de seis denúncias. Mas prescrição e falta de provas impediram todos os casos de ir a julgamento. Por conta disso, ele não foi condenado e ainda brincou no vídeo do ano passado que 2019 “foi um ano muito bom”.

As reviravoltas que o livram de julgamento parecem vir de um roteiro da série “House of Cards”, em que Spacey interpretava o presidente corrupto e implacável dos Estados Unidos, capaz de dar um destino trágico a todos que cruzassem seu caminho. Por sinal, ele também foi acusado de assédio por integrantes dessa produção e acabou demitido pela Netflix.

Por isso, mesmo escapando da justiça, Spacey viu sua carreira desmoronar nos últimos três anos

Vencedor de dois Oscars, ele se encontra desempregado e sem perspectivas de voltar à ativa, tendo sido demitido de vários projetos. O repúdio é tão alto que o ator teve sua presença apagada em seu último trabalho, o drama “Todo o Dinheiro do Mundo”. O diretor Ridley Scott chamou o ator Christopher Plummer às pressas, após as filmagens, para refazer as cenas de Spacey e o substituto foi até indicado ao Oscar.

Spacey ainda chegou a filmar uma cinebiografia do escritor Gore Vidal para a Netflix, que preferiu arquivar o filme e assumir o prejuízo a lançá-lo após os escândalos virem à tona, o que demonstra a falta de perspectivas para a retomada de sua carreira.