Divulgação/The CW

Final de Supernatural emociona fãs e repercute nas redes sociais com choro e raiva

Os fãs de “Supernatural” estão chorando até agora ou xingando os roteiristas da série após a exibição do episódio final na noite de quinta-feira (19/11) nos EUA. Após 15 anos de produção, a história de Sam (Jared Padalecki) e Dean (Jensen Ackles) chegou ao fim como os produtores ameaçaram, ao lembrarem de véspera que “Supernatural” não era conhecida por dar finais felizes a seus personagens.

A pandemia claramente prejudicou os planos originais da despedida, que teve apenas uma participação especial entre o vasto elenco da produção. Afinal, seria apenas lógico imaginar que a saideira dos irmãos que impediram um ou três apocalipses, derrotaram Deus, coroaram a Rainha do Inferno e mataram a Morte não uma, mas várias vezes, tivesse maior repercussão e congregação de testemunhas que os momentos solitários vistos na tela.

Mas em vez de uma despedida digna de guerreiros, diante de uma multidão de parceiros, ao estilo de “Vingadores: Ultimato”, o desfecho refletiu um conceito de fim de jornada visto anteriormente em “A Sete Palmos” (Six Feet Under) – que, convenhamos, mesmo após 15 anos continua a ser o melhor final de série de todos os tempos. Só que entregou apenas a versão covid-19 disso, sem revelar o que aconteceu com a grande galeria de personagens secundários.

O último capítulo recebeu o título “Carry On”, em referência à música que virou tema da série, “Carry on Wayward Son”, rock clássico e cabeludo da banda Kansas – que toca duas vezes no episódio, uma delas por “40 anos”. E dispensou praticamente todos os coadjuvantes para se concentrar apenas nos irmãos Winchester e seu destino agridoce, nas cenas mais emocionais de toda a série.

Os intérpretes de Sam e Dean também mostraram sua evolução como atores desde o começo da atração, ao deixar o público de coração partido com seus diálogos finais. Sem dar muito spoiler, pelo menos a última cena tornou a conclusão menos amarga. E o momento pós-“the end”, quando a câmera volta e Padalecki e Ackles se dirigem aos fãs num agradecimento pela companhia de 15 anos, com toda a equipe ao fundo, pode ter transformado a ponte canadense em que foi gravado num novo destino turístico obrigatório para fãs de “Supernatural” de todo o mundo.

A temporada final está sendo exibida no Brasil pelo canal pago Warner com duas semanas e meia de atraso em relação à transmissão americana. Desta forma, o último capítulo da série criada por Eric Kripke chegará à programação nacional no dia 6 de dezembro.

Por isso, cuidado com spoilers ao ver abaixo algumas das reações nas redes sociais, que entre as lágrimas, emojis de corações partidos e até surtos de ódio pelo desfecho conseguiram notar vários detalhes, como o fato de os atores usarem as mesmas roupas do primeiro episódio e repetirem o mesmo diálogo, mas dito de forma invertida entre eles.