Wikimedia Commons

Winona Ryder e Vanessa Paradis defendem Johnny Depp contra “mentiras”

As atrizes Winona Ryder e Vanessa Paradis deram depoimentos por escrito nesta quinta (16/7) no processo que Johnny Depp move contra o tabloide inglês The Sun por ter sido chamado de “espancador de esposa”, em meio a seu divórcio de Amber Heard.

Casada com Depp de 1998 e 2012, Paradis fez uma defesa completa do ator, dizendo nunca ter conhecido o monstro descrito pela imprensa.

“Essas acusações absurdas estão provocando muita dor e prejudicando a carreira de Johnny, porque muita gente, infelizmente, continua acreditando nessas mentiras. Isso é perturbador, porque Johnny já ajudou muitas pessoas em sua vida pessoal e profissional”, disse ela.

Já Ryder foi mais cautelosa. No texto lido no tribunal de Londres, ela disse que Depp nunca foi violento com ela, mas frisou que esta “é apenas a sua experiência”.

A atriz de “Stranger Things” conta que, durante o relacionamento dos dois, que durou entre 1989 e 1993, Depp “nunca foi violento ou abusivo”, nem com ela nem “com ninguém que eles conheceram”: “Eu honestamente só o conheço como um bom homem — um homem afetuoso, que sempre fez com que eu me sentisse segura”.

“Eu não quero chamar ninguém de mentiroso, mas, com a minha experiência de Johnny, é impossível acreditar que essas alegações horríveis sejam verdadeiras”, segue o depoimento, referindo-se à denúncia da ex-mulher do ator, que alega que ele a agrediu várias vezes durante o casamento.

Após depoimentos de Depp na semana passada, confrontados por fotos e gravações sonoras trazidas pela defesa do jornal, o advogado do ator está trazendo testemunhas e evidências que provariam sua inocência e demonstrariam que Heard era a parceria abusiva na relação.

Paradis e Ryder chegaram a ter suas presenças cogitadas no julgamento, mas acabaram dispensadas porque a matéria do jornal não acusa Depp de ser agressivo com outras mulheres, além de Amber Heard.