Tenet: Christopher Nolan comprou avião só para explodir em seu novo filme

O diretor Christopher Nolan revelou que seu novo longa, “Tenet”, conta com a explosão real de um avião comercial.

Em entrevista à revista britânica Total Film, ele explicou que decidiu comprar um Boeing 747 “por impulso”. Conhecido por sua predileção por cenas de ação realistas, Nolan contou que, no final, explodir um avião de verdade acabou custando menos que fazer isso por meio de computação gráfica.

“Eu planejava usar miniaturas e cenários e uma combinação de efeitos visuais e todo o resto. Mas fizemos as contas… Ficou claro que seria mais eficiente comprar um avião de verdade em tamanho real e realmente fazer a sequência do que construir miniaturas ou optar por computação gráfica.”

Participando da entrevista, o ator Robert Pattinson (“Bom Comportamento”) riu ao se lembrar da filmagem da cena. “Ninguém imaginaria uma realidade em que você está filmando uma cena com um 747 real explodindo! É ridículo de tão ousado… Eu lembro que, enquanto estávamos filmando, eu pensei ‘Quantas vezes isso vai acontecer em outros filmes?'”

O contexto dessa explosão não foi revelado. Na verdade, quase tudo no filme é um grande mistério. E um mistério intrincado, ainda por cima. Tanto que até o protagonista, John David Washington (de “Infiltrado na Klan”), revelou ter tido dificuldades para entender a história.

De fato, a sinopse divulgada é bastante vaga: “Armado com apenas uma palavra – Tenet – e lutando pela sobrevivência do mundo, o protagonista (John David Washington) precisa partir em uma missão dentro do mundo da espionagem internacional, que irá revelar algo além do tempo. Não é viagem no tempo. É inversão.”

O texto nem sequer nomeia o personagem principal, mas remete à situações vistas no trailer, como balas que disparam na direção contrária dos tiros e carros que capotam de trás pra frente, numa espécie de “efeito rewind”, que questiona a linearidade do tempo e lembra que o diretor responsável é o mesmo de “A Origem” (2010) e “Interestelar” (2014).

Vale observar que a palavra-título foi extraída do quadrado Sator – uma estrutura com forma de quadrado mágico composta por cinco palavras latinas: Sator, Arepo, Tenet, Opera e Rotas, que, consideradas em conjunto (da esquerda para a direita ou de cima para baixo), resultam num palíndromo. As cinco palavras repetem-se se forem lidas da esquerda para a direita, da direita para a esquerda, de cima para baixo ou de baixo para cima. No centro do quadrado, a palavra Tenet forma uma cruz. Este quadrado, com as cinco palavras, já foi encontrado em escavações arqueológicas da Roma antiga, incluindo as ruínas de Pompéia, e também em construções medievais ligadas à Igreja católica.

Além de John David Washington e Robert Pattinson, o elenco do filme de Nolan inclui Elizabeth Debicki (“As Viúvas”), Clémence Poésy (“The Tunnel”), Martin Donovan (“Big Little Lies”), Aaron Taylor-Johnson (“Vingadores: Era de Ultron”) e Dimple Kapadia (“Confinados”), atriz veterana de Bollywood em seu primeiro grande papel em Hollywood, e dois velhos conhecidos dos filmes de Nolan, Michael Caine (trilogia “Batman”) e Kenneth Branagh (“Dunkirk”).

Rodado em sete países com câmeras IMAX e filme analógico de 70mm, “Tenet” deveria estrear em 23 de julho no Brasil, uma semana após o lançamento nos Estados Unidos. Mas como a pandemia de coronavírus mantém os cinemas fechados, o trailer mais recente já trocou a data definitiva por em “breve”, ao mesmo tempo que ressalta que a estreia será “somente nos cinemas”. Ou seja, o estúdio vai esperar o quanto for necessário para a exibição em tela grande.