J.K. Rowling doa 1 milhão de libras para ajudar vulneráveis à pandemia de coronavírus

A escritora J.K. Rowling, que criou “Harry Potter” e assina os roteiros da franquia “Animais Fantásticos”, anunciou a doação de 1 milhão de libras esterlinas (aproximadamente R$ 6,8 milhões) para ajudar populações vulneráveis afetadas pela pandemia da covid-19.

O anúncio foi feito no sábado (2/5), dia do 22º aniversário da Batalha de Hogwarts, que na saga de “Harry Potter” marca o maior confronto entre os aliados do bruxinho e as forças de Lord Voldemort.

Após dizer que parecia inadequado falar de mortes da ficção neste momento em que vivemos, em que tantas pessoas estão perdendo seus entes queridos, Rowling afirmou que faria a doação para ajudar “os mais pobres e mais vulneráveis, que são mais afetados”.

Metade da quantia doada pela autora será destinada a uma organização que presta auxílio aos sem-teto, enquanto a outra metade irá para uma instituição voltada a mulheres em situação de violência doméstica.

“Como sempre em uma crise deste tipo, os mais vulneráveis são os que mais sofrem”, ela escreveu no Twitter.

A doação ocorre um mês após Rowling, que tem 54 anos e é casada com um médico, dizer que havia se recuperado de uma suspeita de covid-19 após ficar doente por duas semanas.

Ela disse ter três profissionais de serviços essenciais em sua família imediata e que estava dividida entre “orgulho e ansiedade”.

A contribuição de Rowling marca a mais recente doação de uma celebridade aos esforços de assistência. Longe de ser um “grande equalizador”, como disse Madonna, repetindo alguns políticos, a pandemia não afeta ricos do mesmo modo que os pobres, por isso a solidariedade se mostra absolutamente relevante para preservar vidas.