Christopher Nolan pede apoio para os funcionários de cinemas fechados

O diretor Christopher Nolan, da trilogia do “Cavaleiro das Trevas”, “A Origem” e “Dunkirk”, escreveu uma coluna editorial no jornal Washington Post pedindo apoio para a comunidade cinematográfica neste momento de crise sanitária. No texto, ele lembra que não são os astros famosos e diretores bem-remunerados que passam dificuldades com o fechamento dos cinemas em todo o mundo, mas os funcionários dos estabelecimentos comerciais que, com a pandemia, perderam seus empregos.

“Em tempos tão incertos, não há pensamento mais reconfortante do que estamos todos juntos, algo que a experiência de ir ao cinema reforça há gerações. Além da ajuda que os funcionários dos cinemas precisam do governo, a comunidade de exibidores precisa de parcerias estratégicas e voltadas para o futuro com os estúdios”, analisou Nolan.

“O golpe mais duro agora são em trabalhadores de negócios como cinemas, cujo principal apelo é baseado no maior instinto humano – aquele que foi usado contra nós, o que torna tudo mais difícil: o desejo de estarmos juntos. Talvez, como eu, você pensou que ia ao cinema pelo som, os doces, o refrigerante, a pipoca ou as estrelas. Mas não estávamos lá por isso. Estávamos lá uns pelos outros”, acrescentou.

Ele acredita que o hábito de frequentar o cinema ganhará ainda mais importância após a superação da pandemia. “Quando a crise passar, a necessidade de um engajamento coletivo humano, a necessidade de viver, amar, rir e chorar juntos será mais poderosa do que nunca”, argumentou.

Nolan estava trabalhando na pós-produção de seu próximo filme, “Tenet”, que teve um misterioso trailer revelado no fim do ano passado.

Estrelado por John David Washington (“Infiltrado na Klan”), Robert Pattinson (“O Farol”), Elizabeth Debicki (“Guardiões da Galáxia Vol. 2”), Kenneth Branagh (“Dunkirk”), Aaron Taylor-Johnson (“Vingadores: Era de Ultron”), Dimple Kapadia (“O Que o Coração Deseja”) e Clémence Poésy (da franquia “Harry Potter”), “Tenet” tinha previsão de estreia para julho.