Divulgação/Netflix

Petição contra Especial de Natal do Porta dos Fundos ultrapassa 2 milhões de assinaturas

A petição contra o especial de Natal “A Primeira Tentação de Cristo”, do grupo Porta dos Fundos, atingiu mais de 2 milhões de assinaturas. O abaixo-assinado no site Change.org tem o objetivo de sensibilizar a Netflix para que retire a produção do seu catálogo.

Além desta petição principal, várias outras têm se espalhado em sites similares. Há uma petição acontecendo até na Colômbia, que aponta que o especial “ofende gravemente aos cristãos e ao nosso senhor Jesus Cristo”. “Este filme é uma falta de respeito ao cristianismo e em especial a Deus”, escreveu o criador da campanha em espanhol.

A polêmica também ajudado a divulgar o programa, que aumentou muito a sua exposição e trouxe até novos assinantes ao canal do grupo no YouTube – onde fantasmas de especiais passados podem assombrar ainda mais quem não gostou do atual.

No especial, Jesus (Gregorio Duvivier) retorna para a casa dos pais, após uma viagem de 40 dias no deserto, a tempo de festejar seu aniversário de 30 anos, mas chega acompanhado por Orlando (Fabio Porchat), um rapaz espalhafatoso e afetado. A partir daí, os diálogos trazem uma série de insinuações de que os dois têm um relacionamento amoroso. Também há várias piada sobre a traição sofrida por José e o interesse carnal de Maria em Deus.

Este conteúdo tem se provado divisivo. Além da petição, um bispo de Pernambuco lançou um pedido de boicote à Netflix e deputados conservadores se manifestaram com considerações sobre os limites do humor. Integrantes do clero mais baixo multiplicaram requerimentos para que a Câmara dos Deputados aprovasse uma moção de repúdio contra a plataforma e realizasse até Audiência Pública com a presença de representante da Netflix para prestar esclarecimentos sobre o filme. Um dos requirimentos mais curiosos exige saber os critérios utilizados na seleção de conteúdo do serviço.

Diante da polêmica, o Porta dos Fundos disse, por meio de sua assessoria, que “valoriza a liberdade artística e faz humor e sátira sobre os mais diversos temas culturais e da nossa sociedade”. Repetidamente, os humoristas ainda se manifestaram no mesmo tom de forma individual.

Já a Netflix informou que não irá se pronunciar sobre o ocorrido, mas salientou que valoriza a liberdade de expressão artística e lembrou que a parceria com o Porta dos Fundos rendeu recentemente o Emmy Internacional de Melhor Comédia, vencido pelo especial de Natal do ano passado.