Estreia em 1º lugar não impede Destino Sombrio da franquia Exterminador do Futuro

“O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio” estreou em 1º lugar nas bilheterias dos Estados Unidos e Canadá, mas com um rendimento muito abaixo das expectativas do estúdio. Concebido para abrir uma nova trilogia, teve a tarefa muito dificultada pelo faturamento de US$ 29M (milhões) no final de semana.

As projeções indicavam uma estreia de US$ 40M, o que já seria problemático para uma produção com orçamento de US$ 185M. Ainda assim, a falta de empolgação do público norte-americano foi compensada por bom desempenho internacional. O filme rendeu mais US$ 94,6M no exterior, puxado pelo mercado chinês (US$ 28M), chegando a um total mundial de US$ 123,6M.

Mas, apesar do dinheiro chinês (só 25% dele retorna a Hollywood), vai dar prejuízo. E será a segunda superprodução milionária do cineasta James Cameron a implodir finanças em 2019, após o fracasso comercial de “Alita: Anjo de Combate”.

Para aumentar a preocupação da Disney, Cameron trabalha em continuações de “Avatar” orçadas em US$ 1 bilhão. O alerta deve estar piscando em vermelho na mesa do CEO Bob Iger.

Sem aliviar, o filme ainda dividiu opiniões entre a crítica. Conseguiu 69% de aprovação no Rotten Tomatoes, mas apenas 55% entre os críticos top (da grande imprensa).

Falando candidamente sobre os bastidores da produção, Cameron confessou ter entrado em brigas ferozes com o diretor Tim Miller sobre a edição do filme. “O sangue ainda está escorrendo das paredes”, admitiu, em tom quase de brincadeira.

O Top 3 do fim de semana norte-americano completou-se com “Coringa”, que praticamente atingiu US$ 300M no mercado doméstico, e “Malévola: Dona do Mal”, outro desastre financeiro de 2019.

As bilheterias registraram ainda três novas estreias.

Cinebiografia da ex-escrava abolicionista Harriet Tubman, “Harriet” abriu em 4º lugar com US$ 12M de arrecadação e elogios rasgados da imprensa (77% de aprovação entre os tops do Rotten Tomatoes).

Apesar do circuito limitado e críticas medianas (55% dos tops), o suspense noir “Brooklyn Sem Pai nem Mãe”, dirigido e estrelado por Edward Norton, também conseguiu entrar no Top 10. Apareceu em 9º lugar, à frente da animação “Arctic Dogs”, um desastre com grande distribuição e pouca recomendação (17% no RT).

Destes últimos, apenas “Brooklyn Sem Pai nem Mãe” tem estreia marcada no Brasil: em 5 de dezembro.

Confira abaixo os rendimentos dos 10 filmes mais vistos no fim de semana nos Estados Unidos e no Canadá, e clique em seus títulos para ler mais sobre cada produção.

BILHETERIAS: TOP 10 América do Norte

1. Exterminador do Futuro: Destino Sombrio
Fim de semana: US$ 29M
Total EUA e Canadá: US$ 29M
Total Mundo: US$ 123,6M

2. Coringa
Fim de semana: US$ 13,9M
Total EUA e Canadá: US$ 299,6M
Total Mundo: US$ 934M

3. Malévola: Dona do Mal
Fim de semana: US$ 12,1M
Total EUA e Canadá: US$ 84,3M
Total Mundo: US$ 383,2M

4. Harriet
Fim de semana: US$ 12M
Total EUA e Canadá: US$ 12M
Total Mundo: US$ 12M

5. Família Addams
Fim de semana: US$ 8,49M
Total EUA e Canadá: US$ 85,2M
Total Mundo: US$ 129,2M

 

6. Zumbilândia: Atire Duas Vezes
Fim de semana: US$ 7,3M
Total EUA e Canadá: US$ 59,3M
Total Mundo: US$ 87,1M

7. A Hora da sua Morte
Fim de semana: US$ 5,8M
Total EUA e Canadá: US$ 17,7M
Total Mundo: US$ 21,4M

8. Black and Blue
Fim de semana: US$ 4M
Total EUA e Canadá: US$ 15,4M
Total Mundo: US$ 15,5M

9. Brooklyn Sem Pai nem Mãe
Fim de semana: US$ 3,6M
Total EUA e Canadá: US$ 3,6M
Total Mundo: US$ 3,6M

10. Arctic Dogs
Fim de semana: US$ 3,1M
Total EUA e Canadá: US$ 3,1M
Total Mundo: US$ 3,1M