BBC elege os 100 melhores filmes dirigidos por mulheres



A rede BBC publicou uma lista com os 100 melhores filmes dirigidos por mulheres em todos os tempos, resultante de uma votação com 368 especialistas em cinema de 84 países – críticos, jornalistas, programadores de festivais e acadêmicos.

A votação elegeu “O Piano” (1993), da neozelandesa Jane Campion, em 1º lugar, citado por quase 10% dos críticos. Segundo a crítica Hannah Woodhead, a produção é bastante sensível e tem personagens femininas difíceis e reais. Para ela, o longa é “uma fábula penetrante que fala do desejo universal de amar e ser amado”.

“O Piano” venceu três Oscars, todos conquistados por mulheres – a atriz Holly Hunter, a atriz coadjuvante Anna Paquin (então com 11 anos) e a cineasta Jane Campion, pelo Roteiro Original. Além disso, conquistou a Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Já a diretora de maior presença foi Agnès Varda, que morreu em março deste ano. Ela teve seis filmes entre os 100 melhores, inclusive o 2º colocado, o clássico “Cléo das 5 às 7” (1962).

Outras cineastas bastante citadas foram Kathryn Bigelow (5 filmes), Claire Denis, Lynne Ramsay e Sofia Coppola (4 filmes cada).



A lista nasceu em consequência do debate sobre relações anteriores, que ganhou maior relevância a partir da seleção compilada no ano passado, com os 100 melhores filmes em língua não inglesa. Chamou atenção que, dentre os filmes eleitos, apenas quatro eram dirigidos por mulheres. Mas essa escassez de diretoras já vinha se repetindo em outras listas anuais da BBC: no ranking de 100 maiores comédias, de 2017, igualmente só havia quatro mulheres. Da compilação dos 100 melhores filmes do século 21, feita em 2016, apareceram 12 – e nenhuma delas ficou entre as 20 primeiras posições. E na primeira pesquisa da BBC sobre os 100 maiores filmes americanos de todos os tempos, só dois tinham mulheres à sua frente – e ainda assim em codireção.

Apesar da nova lista destacar apenas filmes de cineastas femininas, metade dos críticos que votaram foram homens. Cada eleitor listou seus 10 filmes favoritos dirigidos por mulheres, gerando mais de 700 citações diferentes. Portanto, a lista apresenta os 100 que melhor pontuaram, abrangendo desde o cinema mudo, caso de “Sapatos” (1916), até lançamentos deste ano, como “The Souvenir” e “Retrato de Uma Jovem em Chamas”.

Infelizmente, não há nenhum filme brasileiro na lista, apesar de alguns dos melhores longas recentes do país terem sido dirigidos por mulheres – como “Que Horas Ela Volta?” (2015), de Anna Muylaert, “Como Nossos Pais” (2017), de Laís Bodanzky, sem esquecer de “Cidade de Deus” (2002), codirigido por Kátia Lund, e clássicos como “Mar de Rosas” (1978), de Ana Carolina, e “A Hora da Estrela” (1985), de Suzana Amaral.

Eis a lista, segundo a opinião dos críticos consultados pela BBC:

100 – Minhas Mães e Meu Pai (Lisa Cholodenko, 2010)
99 – The Souvenir (Joanna Hogg, 2019)
98 – Um Lugar Qualquer (Sofia Coppola, 2010)
97 – Örökbefogadás (Márta Mészáros, 1975)
96 – Os Encontros de Anna (Chantal Akerman, 1977)
95 – Ritual in Transfigured Time (Maya Deren, 1946)
94 – Notícias de Casa (Chantal Akerman, 1977)
93 – Marcas da Vida (Andrea Arnold, 2006)
92 – Raw (Julia Ducournau, 2016)
91 – Minha Terra África (Claire Denis, 2009)
90 – Fast Times at Ridgemont High (Amy Heckerling, 1982)
89 – As Praias de Agnès (Agnès Varda, 2008)
88 – Os Silêncios do Palácio (Moufida Tlatli, 1994)
87 – 35 Doses de Rum (Claire Denis, 2008)
86 – O Sonho de Wadjda (Haifaa Al-Mansour, 2012)
85 – Uma Canta, a Outra Não (Agnès Varda, 1977)
84 – Retrato de Jason (Shirley Clarke, 1967)
83 – Sintonia de Amor (Nora Ephron, 1993)
82 – At Land (Maya Deren, 1944)
81 – Garota Sombria Caminha pela Noite (Ana Lily Amirpour, 2014)
80 – Quero Ser Grande (Penny Marshall, 1988)
79 – Sapatos (Lois Weber, 1916)
78 – A Maçã (Samira Makhmalbaf, 1988)
77 – Tomboy (Céline Sciamma, 2011)
76 – Garotas (Céline Sciamma, 2014)
75 – O Atalho (Kelly Reichardt, 2010)
74 – Chocolate (Claire Denis, 1988)
73 – Corpo e Alma (Ildikó Enyedi, 2017)
72 – Europa Europa (Agnieszka Holland, 1980)
71 – A Concha e o Clérigo (Germaine Dulac, 1928)
70 – Encantadora de Baleias (Niki Caro, 2002)
69 – The Connection (Shirley Clarke, 1961)
68 – Eve’s Bayou (Kasi Lemmons, 1997)
67 – Os Anos de Chumbo (Margarethe von Trotta, 1981)
66 – O Lixo e o Sonho (Lynne Ramsay, 1999)
65 – Sem Rastros (Debra Granik, 2018)
64 – Domando o Destino (Chloe Zhao, 2017)
63 – Maria Antonieta (Sofia Coppola, 2006)
62 – Estranhos Prazeres (Kathryn Bigelow, 1995)
61 – India Song (Marguerite Duras, 1975)
60 – Uma Equipe Muito Especial (Penny Marshall, 1992)
59 – O Longo Adeus (Kira Muratova, 1971)
58 – Procura-se Susan Desesperadamente (Susam Seidelman, 1985)
57 – O Babadook (Jennifer Kent, 2014)
56 – A 13ª Emenda (Ava DuVernay, 2016)
55 – Monster – Desejo Assassino (Patty Jenkins, 2003)
54 – Brilho de Uma Paixão (Jane Campion, 2009)
53 – La mujer sin cabeza (Lucrecia Martel, 2008)
52 – Lazzaro Felice (Alice Rohrwacher, 2018)
51 – Harlan County: Tragédia Americana (Barbara Kopple, 1976)
50 – O Mundo é o Culpado (Ida Lupino, 1950)
49 – Salaam Bombay! (Mira Nair, 1988)
48 – Síndrome Astênica (Kira Muratova, 1989)
47 – Um Anjo em Minha Mesa (Jane Campion, 1990)
46 – Quando Chega a Escuridão (Kathryn Bigelow, 1987)
45 – Triunfo da Vontade (Leni Riefenstahl, 1935)
44 – Docinho da América (Andrea Arnold, 2016)
43 – As Virgens Suicidas (Sofia Coppola, 1999)
42 – As Aventuras do Príncipe Achmed (Lotte Reiniger, 1926)
41 – Cafarnaum (Nadine Labaki, 2018)
40 – Meninos Não Choram (Kimberly Peirce, 1999)
39 – Retrato de Uma Jovem em Chamas (Céline Sciamma, 2019)
38 – Paris is Burning (Jennie Livingston, 1990)
37 – Olympia (Leni Riefenstahl, 1938)
36 – Wendy e Lucy (Kelly Reichardt, 2008)
35 – Matrix (Lana e Lilly Wachowski, 1999)
34 – O Romance de Morvern Callar (Lynne Ramsay, 2002)
33 – Você Nunca Esteve Realmente Aqui (Lynne Ramsay, 2017)
32 – O Porteiro da Noite (Liliana Cavani, 1974)
31 – Os Catadores e Eu (Agnès Varda, 2000)
30 – Zama (Lucrecia Martel, 2017)
29 – Um Casamento à Indiana (Mira Nair, 2001)
28 – As Duas Faces da Felicidade (Agnès Varda, 1965)
27 – Selma: Uma Luta pela Igualdade (Ava DuVernay, 2014)
26 – Histórias que Contamos (Sarah Polley, 2012)
25 – The House is Black (Forough Farrokhzad, 1963)
24 – Lady Bird (Greta Gerwig, 2017)
23 – O Mundo Odeia-me (Ida Lupino, 1953)
22 – Precisamos Falar Sobre Kevin (Lynne Ramsay, 2011)
21 – Inverno da Alma (Debra Granik, 2010)
20 – Clueless (Amy Heckerling, 1995)
19 – Orlando (Sally Potter, 1992)
18 – Psicopata Americano (Mary Harron, 2000)
17 – Pasqualino Sete Belezas (Lina Wertmüller, 1975)
16 – Wanda (Barbara Loden, 1970)
15 – La Cienaga (Lucrecia Martel, 2001)
14 – O Pântano (Lucrecia Martel, 2001)
13 – Caçadores de Emoção (Kathryn Bigelow, 1991)
12 – Os Renegados (Agnès Varda, 1985)
11 – A Hora Mais Escura (Kathryn Bigelow, 2012)
10 – Filhas do Pó (Julie Dash, 1991)
9 – Aquário (Andrea Arnold, 2009)
8 – Toni Erdmann (Maren Ade, 2016)
7 – Guerra ao Terror (Kathryn Bigelow, 2008)
6 – As Pequenas Margaridas (V?ra Chytilová, 1966)
5 – Encontros e Desencontro (Sofia Coppola, 2003)
4 – Bom Trabalho (Claire Denis, 1999)
3 – Jeanne Dielman (Chantal Akerman, 1975)
2 – Cléo das 5 às 7 (Agnès Varda, 1962)
1 – O Piano (Jane Campion, 1993)



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings