Após queixa de Emilia Clarke, diretores do Reino Unido ganham manual para cenas de nudez


Poucos dias após Emilia Clarke revelar em entrevista que foi pressionada a fazer mais cenas de nudez que esperava durante as gravações de “Game of Thrones”, a associação profissional de diretores do Reino Unido, Directors UK, lançou um manual com diretrizes para a realização desse tipo de gravação – cenas de nudez e simulações de sexo em filmes e séries.

Clarke disse ter ficado impressionada com a “quantidade de nudez” da 1ª temporada de “Game of thrones”. A atriz contou que, mesmo tendo lido o roteiro e concordado com as cenas descritas, se sentiu insegura durante o set, que foi sua primeira grande experiência após completar a escola de teatro.

“Eu nunca tinha estado em um set como aquele, e agora estava lá completamente nua com todas aquelas pessoas, e não sabia o que fazer e o que era esperado de mim, e não sei o que eu queria ou não queria”, relembrou.

Com as novas diretrizes, o Directors UK espera evitar situações de desconforto iguais, com orientações para ensaios, direção de cenas de violência sexual e planejamento de gravações de forma que atendam a cláusulas contratuais. Segundo a entidade, a ideia é “encontrar soluções criativas para os desafios que ocorrem no set”.



O manual tem o apoio de outras organizações importantes do audiovisual no Reino Unido, como o Bafta, BFI, o sindicato de diretores de casting e o sindicato dos roteiristas do Reino Unido, assim como grupos que advocam pela igualdade de gênero, como o ERA 50:50 e o Time’s Up UK.

Presidente do comitê do Directors UK e vencedora de um Bafta, a diretora Susanna White celebrou o lançamento do guia.

“O diretor, como o líder criativo da produção, deve dar o tom para um ambiente profissional e respeitoso no set. Todos nós estamos aqui porque queremos contar histórias emocionantes e impactantes, e nenhum integrante do elenco ou da equipe deve ser colocado numa posição em que se sinta inseguro, explorado ou mal gerenciado — especialmente na hora de filmar conteúdos sensíveis”, disse a cineasta de “Uma Mulher Exemplar” (2017) e “Nanny McPhee e as Lições Mágicas” (2010), em comunicado.



Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings