Novo filme do He-Man pode sair direto em streaming pela Netflix



O novo filme live-action do He-Man, “Mestres do Universo”, pode virar programa de streaming. Segundo a revista The Hollywood Reporter, a Sony Pictures estaria cogitando vender o projeto para a Netflix.

A publicação cita fontes que afirmam que o presidente do estúdio, Tom Rothman, estaria explorando a possibilidade de conseguir dinheiro do streaming com a produção.

A Sony tenta tirar um filme do He-Man do papel desde 2007. A dificuldade enfrentada se deve à frustração com o primeiro e único filme da franquia, lançado em 1987 com Dolph Lundgren (“Os Mercenários”) no papel de He-Man e Frank Langella (“Frost/Nixon”) como o vilão Esqueleto. Com efeitos precários e resultado discutível, “Mestres do Universo” é mais lembrado por ter lançado a carreira da atriz Courteney Cox (da série “Friends”).

Com o filme entrando direto no streaming, não haveria receios com um novo fracasso no cinema.

Caso o acordo seja fechado, a Sony se tornará o segundo estúdio depois da Paramount a fazer filmes com exclusividade para a Netflix.


A incerteza em relação ao projeto tem adiado o início da produção. O roteiro de Art Marcum e Matt Holloway, roteiristas do primeiro “Homem de Ferro” (2008) e do novo “MIB: Homens de Preto – Internacional” (2019), está pronto há muitos anos e os irmãos Aaron e Adam Nee, conhecidos pelo thriller independente “Band of Robbers”, foram anunciados no ano passado.

Para completar, Noah Centineo (“Para Todos os Garotos que Já Amei”) foi confirmado em abril no papel de He-Man.

Originalmente, o personagem fazia parte de uma coleção de brinquedos da Mattel, lançada em 1982. Mas ficou mais conhecido após se tornar desenho animado, com direito com muito sucesso nas manhãs da TV Globo nos anos 1980.

Vale lembrar que outra personagem de “Mestres do Universo”, She-Ra, estrela uma série animada que já vai para sua 4ª temporada na Netflix.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings