Criador de Riverdale e Sabrina desenvolve séries de terror gótico para a HBO Max

O produtor-roteirista Roberto Aguirre-Sacasa, criador de “Riverdale” e “O Mundo Sombrio de Sabrina”, está desenvolvendo duas séries, uma delas para a plataforma de streaming HBO Max, que será lançada no ano que vem.

O primeiro projeto se chama “The Shelley Society”, e é descrito como um “’Arquivo X’ vitoriano”. A série será uma mistura de romance adolescente com horror gótico, e acompanhará a jovem Mary Shelley, a autora de “Frankenstein”, enfrentando monstros e criaturas sobrenaturais. Sacasa vai escrever os roteiros com Tessa Leigh Williams e James DeWille, dupla de “Riverdale”.

O segundo chama-se “The Brides” e é inspirado na saga de Drácula – especialmente em “As Noivas de Drácula”.

Na verdade, “The Brides” é um projeto antigo, que chegou a ser apresentado para a rede americana NBC em 2015. As noivas de Dracula foram criadas por Bram Stoker em seu clássico gótico “Drácula”. Eram originalmente três vampiras que viviam com Drácula em seu castelo na Transilvânia, onde usavam seu charme para seduzir e enfeitiçar os homens, antes de sugá-los, até serem exterminadas por Van Helsing. Além de aparecerem em inúmeros filmes sobre a origem de “Drácula”, elas também já tiveram um filme próprio em 1960, um clássico da Hammer lançado no Brasil como “As Noivas do Vampiro”.

Na época em que estava sendo cogitado pela NBC, o projeto era descrito como uma “reimaginação sexy” da história das três noivas de Drácula, que não só sobreviveram ao ataque de Van Helsing como vivem na Nova York dos dias atuais. A trama iria acompanhar “o que elas fazem para manter a riqueza, o prestígio e o legado de sua família não-tradicional”.

Em sua nova versão, “The Brides” é apresentada como “uma novela de terror sobre um grupo de protagonistas femininas e seus conflitos familiares”.

Os dois projetos têm produção de Greg Berlanti, parceiro de Aguirre-Sacasa em suas séries derivadas da Archie Comics.

Por enquanto, apenas a primeira atração teve piloto encomendado, dentro do contrato de exclusividade de Berlanti e Aguirre-Sacasa com a WBTV (Warner Bros. Television). Para a série sair do papel, o piloto precisa ser aprovado.