Problemas de bastidores vêm à tona após fracasso de MIB: Homens de Preto – Internacional


Como costuma acontecer após grandes fracassos de bilheteria, as fofocas de bastidores de “MIB: Homem de Preto – Internacional”, que justificariam o desastre, começaram a vir à tona após o fim de semana de estreia da produção.

Fontes da revista The Hollywood Reporter revelaram diversos problemas na produção, afirmando que o diretor F. Gary Gray chegou a quase abandonar o projeto em várias ocasiões, por diferenças criativas com o produtor Walter Parkes, que colaborou no primeiro filme da franquia.

A reportagem sugere que o roteiro original de Art Marcum e Matt Holloway era muito mais ousado e atual que a comédia pastelão filmada. Havia discussões sobre o problema mundial da imigração e até um grupo de vilões inspirados nos Beatles. “Você não atrairia Chris Hemsworth e Tessa Thompson para filmar se o roteiro não fosse bom”, disse uma das fontes do site.

No entanto, Parkes teria exigido mudanças não apenas na pré-produção, como também durante as filmagens, pesando a mão no roteiro. Páginas seriam reescritas diariamente, antes das filmagens, arrancando todas as partes consideradas modernas da história. O processo resultou em irritação e confusão tão grandes que Thompson e Hemsworth contrataram seus próprios escritores para escreverem seus diálogos.



O produtor também teria batido de frente contra Gray, querendo orientar o trabalho de direção e até dirigindo algumas cenas, embora isso fosse proibido pelo sindicato da categoria. A intromissão levou o diretor de blockbusters como “Velozes & Furiosos 8” e “Straight Outta Compton” a querer abandonar o filme. Só não largou tudo porque foi convencido pelo estúdio a ficar. Mas, segundo uma das fontes, a Sony não deu qualquer orientação ou mediou as muitas discussões entre diretor e produtor. Até a escolha da palheta de cores da fotografia virou briga. “O estúdio foi um senhorio ausente”, disse a voz anônima.

“MIB: Homem de Preto – Internacional” teve a pior abertura da franquia, com um faturamento de US$ 28,5M (milhões), muito abaixo do esperado. Estimativas anteriores previam uma abertura com pelo menos US$ 40 milhões, o que já era bem menos que seu antecessor – “MIB: Homens de Preto 3” fez US$ 69M em sua estreia norte-americana, há sete anos.

Embora o resultado na bilheteria tenha ficado aquém das expectativas, um executivo da Sony disse estar confiante na sobrevivência da franquia. “Homens de Preto será revisitado de novo em algum ponto, seja em série, no streaming ou em outro filme”. Mas provavelmente apenas como série… em streaming.


Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings