Cachorro de Era uma Vez em Hollywood é premiado no Festival de Cannes

Um filme de Quentin Tarantino voltou a ser premiado no Festival de Cannes, 25 anos depois de “Pulp Fiction” conquistar a Palma de Ouro. A nova consagração é bem diferente e se deve ao cachorro do longa, que rouba a cena em uma luta, vencedor da “Palma Canina”.

O papel de Brandy, na verdade, foi interpretado por três pitbulls diferentes, que terão que dividir a premiação de “melhor cachorro” do Festival.

“Tenho que dizer que estou honrado por isso”, disse Tarantino ao receber a coleira (é o troféu) entregue aos vencedores durante cerimônia.

“Gostaria de dedicar isso à minha maravilhosa atriz Brandy”, acrescentou, atraindo risadas da multidão durante a premiação que ocorre anualmente no festival.

Tarantino disse que um dos cães que participaram da cena de luta era inicialmente o favorito entre o elenco canino, mas que, posteriormente, foi atraído pelo rosto expressivo de outro dos pitbulls durante o processo de edição.

O cineasta norte-americano afirmou que ficaria com o prêmio embora não tenha um cachorro, acrescentando que pode adotar um algum dia.

Sobre a “Palma Canina”, Tarantino disse: “Vai ficar na minha lareira, tudo bem, minha lareira de honra”.

O filme de Tarantino “Era uma vez em Hollywood” se passa no final dos anos 1960 e é estrelado por Leonardo DiCaprio, que interpreta Rick Dalton, um ator com dificuldades em aceitar a decadência de sua carreira, e por Brad Pitt, que vive Cliff Booth, dublê e melhor amigo de Dalton.

Booth é dono de um pitbull, com o qual ele tem cenas individuais, incluindo momentos de comédia, como a preparação de um jantar para seu animal de estimação.

O cão aparece novamente na sequência final do filme. Mas Tarantino pediu à imprensa para que não fossem revelados spoilers da trama após a exibição em Cannes.

O vencedor da Palma de Ouro, principal premiação de Cannes, vai ser anunciado no sábado (25/5) no final do festival. Tarantino está competindo com diretores veteranos, incluindo Ken Loach, Marco Bellochio e Pedro Almodóvar, além do filme brasileiro “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles.