Stephen King elogia remake de Cemitério Maldito: “bom pra cara**o”



O escritor Stephen King deu uma longa entrevista para a revista Entertainment Weekly sobre sua relação com “Cemitério Maldito”, da inspiração real da história, passando pela filmagem dos anos 1980 até o remake. E ele confessou que gosta dos dois filmes, mas que a segunda adaptação é adulta e realmente muito boa. Na verdade, tão boa que ele precisou usar um palavrão para descrevê-la.

“É bom pra cara**o! É um filme realmente muito bom! É um filme adulto. Não é um daqueles filmes com adolescentes usando pouca roupa em um acampamento de verão. Ultimamente temos muitos filmes adultos fazendo sucesso. Filmes de terror como ‘Corra!’ e ‘Nós’ de Jordan Peele. São fantasias de terror voltadas para adultos”.

Ele é fã até da música dos Ramones que embalou o filme de 1989 – a ponto de cantarolar o refrão durante a entrevista. E concorda que se trata de uma de suas histórias mais sombrias, especialmente por ser inspirada em seus filhos – foi escrita após Owen ser quase atropelado por um caminhão, destino do qual o gato de Naomi não escapou, sendo enterrado num cemitério de animais próximo da rodovia em que sua família morava.

Mas o autor também defende as mudanças feitas pelo novo filme, que trocaram o sexo do filho que vira morto-vivo na trama. “É algo diferente”, diz King. “Eles fizeram um bom trabalho. Cara, vi as reações das pessoas na internet quando perceberam que é Ellie quem é atropelada na estrada no lugar de Gage, e pensei: ‘Ah, essas pessoas…’. É uma loucura. Mas você pode tomar muitos atalhos para chegar no mesmo destino. Não muda nada pra mim”.



O roteiro do primeiro filme foi escrito pelo próprio King. Já a nova versão foi adaptada por David Kajganich e Jeff Buhler, criadores, respectivamente, das séries “The Terror” e “Nightflyers”, e a direção está a cargo da dupla Dennis Widmyer e Kevin Kölsch, responsáveis pelo terror indie “Starry Eyes” (2014) – com 75% de aprovação no site Rotten Tomatoes.

O elenco inclui Jason Clarke (“Exterminador do Futuro: Gênesis”), John Lithgow (“The Crown”), Jeté Laurence (“Sneaky Pete”) e os gêmeos Hugo e Lucas Lavoie revendo-se no papel de Gage, o filho caçula da família.

A estreia só vai acontecer em 9 de maio no Brasil, um mês após o lançamento nos Estados Unidos.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings