Trailer de Hellboy ganha versões legendada e dublada em português



Um mês da Lionsgate disponibilizar o primeiro trailer de “Hellboy”, a Imagem Filmes disponibilizou a versão nacional, com legendas e dublagem em português. Veja abaixo.

A prévia investe em piadinhas, trilha nada a ver (“Mony, Mony” em cover de Billy Idol) e efeitos visuais computadorizados para demarcar a diferença em relação aos dois filmes anteriores do personagem, dirigidos por ninguém menos que Guillermo Del Toro.

A nova versão é um reboot da franquia, baseada nos quadrinhos de Mike Mignola, e traz o ator David Harbour (o xerife Hopper na série “Stranger Things”) no papel consagrado por Ron Perlman. Mas esta é a menor das mudanças, já que a produção dispensa os demais heróis sobrenaturais vistos nos filmes de Del Toro, trocando-os por novos personagens.

Assinado por Andrew Cosby (criador da série “Eureka”), o roteiro adapta a trama de quadrinhos conhecida como “Rise of the Blood Queen”.

Trata-se de uma aventura em que Hellboy enfrenta Nimue, a maior de todas as bruxas britânicas – que, segundo a lenda arthuriana, era amante de Merlin. Ela usou essa afeição para aprender os truques do mago e depois aprisioná-lo. Mas, sem Merlin, Nimue enlouqueceu, assustando as outras bruxas, que passam a encará-la como ameaça e decidem matá-la, esquartejá-la e espalhar seus restos pela Terra. Este status muda quando, séculos depois, Hellboy ameaça a existência das bruxas e elas decidem trazer Nimue de volta à vida.


Dirigido por Neil Marshall (“Legionário”, série “Game of Thrones”), o reboot de “Hellboy” inclui em seu elenco Ian McShane (série “American Gods”), Sasha Lane (“American Honey”), Daniel Dae Kim (“Hawaii Five-0”), Penelope Mitchell (“The Vampire Diaries”), Sophie Okonedo (“Depois da Terra”), Kristina Klebe (“Halloween – O Início”) e Milla Jovovich (franquia “Resident Evil”) no papel da vilã Nimue.

A estreia está marcada para 11 de abril no Brasil, um dia antes do lançamento nos Estados Unidos.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings