Sony decide fechar a plataforma Crackle na América Latina



A Sony decidiu encerrar o serviço de streaming Crackle na América Latina.

A plataforma cessará suas operações na região em 30 de abril.

“O Crackle Latin America não é sustentável no ambiente local altamente competitivo”, escreveu Keith Le Goy, presidente mundial de distribuição da Sony, em um e-mail obtido pelo site The Hollywood Reporter.

Le Goy observou que o fechamento do Crackle na região não está relacionado à operação dos negócios dos EUA, onde a Sony está atualmente em busca de parceiros estratégicos .

Ao contrário de sua operação nos EUA, que é gratuita e baseada em anúncios, a Crackle chegou na América Latina como um serviço de assinatura. Mas se tornou atrelada à operadoras de TV paga e não fez muita publicidade de sua existência.



A paralisação ocorre logo após o fechamento das operações da Crackle Canada, em junho.

Mesmo assim, a Sony não desistiu do mercado de streaming, que virou prioridade para os estúdios rivais. Disney, WarnerMedia e NBCUniversal estão desenvolvendo suas plataformas de streaming individuais.

“Serviços diretos ao consumidor continuam a ser uma área extremamente importante para a nossa indústria em evolução, e vamos persistir em explorar outras oportunidades nesse espaço”, escreveu Le Goy, acrescentando que a Sony continuará a desenvolver negócios do canal Sony e AXN na região.

A programação exclusiva da Crackle inclui séries como “Start Up”, “Snatch” e “The Oath” , além de filmes e programas de TV. A plataforma também distribuiu a mais recente temporada da série “Doctor Who” no Brasil.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings