Emma Watson assina carta aberta pedindo legalização do aborto em todo o mundo



A atriz Emma Watson (“A Bela e a Fera”) escreveu um contundente carta aberta, publicada pela revista Porter na segunda (1/10), endereçada à dentista Savita Halappanavar, que, em 2012, teve ajuda negada por médicos e hospitais enquanto sofria um aborto espontâneo. As leis de aborto na Irlanda, país em que Savita morava, eram bastante restritas e a prática era considerada crime. Logo, ninguém quis dar suporte à jovem para não corroborar com o ato “criminoso”.

Savita Halappanavar morreu tentando salvar a própria vida. E sua morte virou símbolo da luta para legalizar o aborto no país católico.

“Queria Dra. Savita Halappanavar, você não queria ter virado a face de todo um movimento. Você queria se submeter a um procedimento que salvaria sua vida(…) Nós entoamos: nunca mais. Mas é raro que a justiça verdadeiramente prevaleça para aquelas que a morte simboliza uma desigualdade estrutural(…) Para você, e para todas que precisam viajar até o Reino Unido para ter acesso a um aborto seguro e legal, a justiça é duramente conquistada(…) Da Argentina à Polônia, leis restritivas de aborto punem e colocam em perigo garotas, mulheres e grávidas“, diz a atriz, em trechos da carta.



“Ainda há trabalho a ser feito. O aborto gratuito, seguro, legal e local é necessário em todo o mundo”, completou.

Segundo uma pesquisa publicada este ano pelo Instituto Guttmacher o aborto é totalmente proibido em 26 países e altamente restrito em 125, afetando 42% do total das mulheres do mundo.


Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings