Primeiro trailer legendado de X-Men: Fênix Negra é origem dramática de supervilã


A Fox divulgou o pôster e o primeiro trailer legendado de “X-Men: Fênix Negra”. Bastante dramática, a prévia ignora completamente a sinopse anteriormente divulgada. Não há viagem espacial, acidente que desperta superpoderes escondidos ou qualquer outra referência à historia clássica dos quadrinhos que batiza o filme. Em vez disso, surgem cenas da origem de uma nova supervilã: Jean Grey.

O trailer é todo focado na transformação da heroína na vilã Fênix Negra, mostrando sua evolução desde a infância até sua explosão de raiva contra a humanidade e o momento em que os X-Men decidem enfrentá-la. Vale destacar que os personagens usam uniformes inspirados nos desenhos de Frank Quitely do início dos anos 2000, caracterizado por um “X” amarelo bem grande no peito. O que também não combina com a trama original.

Esta é a segunda adaptação cinematográfica da “Saga da Fênix Negra”, criada por Chris Claremont, Dave Cockrum e John Byrne em 1980. A nova versão foi escrita pelo mesmo roteirista que assinou a primeira, em “X-Men: O Confronto Final” (2006), tão ruim que quase acabou com a franquia. Desta vez, Simon Kinberg ainda é responsável pela direção, em sua estreia na função.

O filme mantém os intérpretes de “X-Men: Apocalipse” (2016), Jennifer Lawrence (Mística), Michael Fassbender (Magneto), James McAvoy (Professor Xavier), Nicholas Hoult (Fera), Evan Peters (Mercúrio), Alexandra Shipp (Tempestade), Tye Sheridan (Cíclope), Kodi Smit-McPhee (Noturno) e, claro, Sophie Turner (Jean Grey/Fênix). As cenas de flashback ainda destacam a precoce Summer Fontana (a versão mirim de Hope Michaelson em “The Originals”). E Jessica Chastain (“A Grande Jogada”) vive uma vilã misteriosa.



A estreia está marcada para 14 de fevereiro no Brasil, mesmo dia do lançamento nos Estados Unidos.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings