Missão Impossível mantém liderança nas bilheterias dos Estados Unidos – e do mundo



“Missão: Impossível – Efeito Fallout” superou três estreias amplas para se manter no topo das bilheterias em seu segundo fim de semana na América do Norte. Em 10 dias, o filme já soma 124,4m nos Estados Unidos e Canadá e US$ 329,4m em todo o mundo.

Orçado em US$ 178m, mais despesas de marketing (na casa dos US$ 80m), a produção precisaria teoricamente atingir US$ 600m para zerar suas contas. E já tem mais da metade deste valor. Repetindo: em 10 dias. Além disso, sua estreia na China, segundo maior mercado do mundo, só vai acontecer em 31 de agosto. Portanto, não comprem ações indicadas por quem escreveu nessa semana que a verdadeira “missão impossível” do longa da Paramount seria se pagar.

Para completar, o sexto “Missão Impossível” teve um dos menores declínios de toda a franquia em sua segunda semana de exibição, perdendo só 43% do público em relação à estreia. O filme estrelado por Tom Cruise também liderou a bilheteria mundial no fim de semana.

O sucesso da Paramount representou dor de cabeça para a Disney, que pela segunda vez neste ano não conseguiu emplacar uma estreia em 1º lugar. “Christopher Robin”, fábula com atores inspirada nos desenhos (e livros) do Ursinho Pooh, precisou se contentar com o 2º lugar e uma bilheteria bastante esquálida para esse tipo de produção: US$ 25m. O desempenho é ainda pior que o de “Uma Dobra no Tempo” (US$ 33,1m) em março. E curiosamente ambas são produções originais da Disney e não de um dos estúdios recentemente comprados pelo conglomerado – o que demonstra a importância da estratégia de aquisições do CEO Bob Iger.

Por sinal, a Marvel deu um motivo para a Disney comemorar este fim de semana. “Pantera Negra” cruzou a impressionante marca de US$ 700m de arrecadação na bilheteria doméstica, tornando-se o terceiro filme a ultrapassar esse valor – após “Avatar” (US$ 760,5m) e “Star Wars: O Despertar de Jedi” (US$ 936,6m) – em todos os tempos. Leia mais aqui.

As outras estreias da semana amargaram uma performance muito abaixo do esperado. A comédia “Meu Ex É um Espião” ficou em 3º lugar com US$ 12,3m, enquanto a fantasia juvenil “Mentes Sombrias” implodiu em 8º com 5,8m. Ambos também tiveram que lidar com críticas muito negativas – respectivamente, 38% e 18% de aprovação no site Rotten Tomatoes. Mas há um lado positivo nesses fracassos, pois deixam claro para os estúdios que filmes de espiãs estabanadas e adaptações de best-sellers de sci-fi juvenil já deram o que tinham que dar.

As três estreias americanas vão chegar ainda neste mês no Brasil. “Christopher Robin” e “Mentes Sombrias” estreiam no dia 16, e “Meu Ex É um Espião” na semana seguinte, em 23 de agosto.

Confira abaixo os rendimentos dos 10 filmes mais vistos no final de semana nos Estados Unidos e no Canadá, e clique em seus títulos para ler sobre cada produção.

BILHETERIAS: TOP 10 América do Norte

1. Missão: Impossível – Efeito Fallout
Fim de semana: US$ 35m
Total EUA e Canadá: 124,4m
Total Mundo: US$ 329,4m



2. Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível
Fim de semana: US$ 25m
Total EUA e Canadá: US$ 25m
Total Mundo: US$ 29,8m

3. Meu Ex É um Espião
Fim de semana: US$ 12,3m
Total EUA e Canadá: US$ 12,3m
Total Mundo: US$ 12,3m

4. Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo
Fim de semana: US$ 9m
Total EUA e Canadá: US$ 91,3m
Total Mundo: US$ 230,5m

5. O Protetor 2
Fim de semana: US$ 8,8m
Total EUA e Canadá: US$ 79,85m
Total Mundo: US$ 87,5m

6. Hotel Transilvânia 3
Fim de semana: US$ 8,24m
Total EUA e Canadá: US$ 136,4m
Total Mundo: US$ 338,7m

7. Homem-Formiga e a Vespa
Fim de semana: US$ 6,1m
Total EUA e Canadá: US$ 195,4m
Total Mundo: US$ 426,2m

8. Mentes Sombrias
Fim de semana: US$ 5,8m
Total EUA e Canadá: US$ 5,8m
Total Mundo: US$ 9,8m

9. Os Incríveis 2
Fim de semana: US$ 5m
Total EUA e Canadá: US$ 583,1m
Total Mundo: US$ 1b

10. Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas
Fim de semana: US$ 4,8m
Total EUA e Canadá: US$ 20,7m
Total Mundo: US$ 23,1m



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings