Stan Lee consegue ordem de restrição contra seu sócio e empresário, preso pela polícia

Stan Lee conseguiu uma ordem de restrição temporária contra Keya Morgan, seu atual sócio e empresário, após este ser preso na segunda-feira (11/6) sob a suspeita de ter registrado um boletim de ocorrência falso na polícia de Los Angeles.

A ordem de restrição é a mais recente reviravolta preocupante que cerca a vida atribulada do criador dos principais heróis da Marvel, atualmente com 95 anos de idade.

Dias antes da prisão de Morgan, o mesmo Stan Lee postou um vídeo no Twitter em que deixava claro que o empresário era a única pessoa em quem ele confiava e que podia representá-lo. “Meu único sócio e gerente de negócios é Keya Morgan, e não todas as outras pessoas que estão fazendo declarações falsas”, disse o veterano ator de quadrinhos.

O site da revista The Hollywood Reporter afirmou que o pedido de restrição permanente contra Morgan tem 43 páginas. A audiência para a decisão judicial foi marcada para 6 de julho.

A polícia de Los Angeles ainda não divulgou os detalhes exatos da prisão de Morgan, que foi solto após pagar fiança e ainda responderá a processo criminal. Mas pode ter a ver com o relato insólito do início deste mês, quando policiais foram chamados após Lee ser supostamente confrontado em sua casa por dois homens armados que lhe exigiam dinheiro.

Envolvido há muito tempo com o segmento de cultura pop, Keya já vinha sido observado de perto pela mídia após várias denúncias que envolviam abusos contra o criador dos maiores heróis da Marvel.

Em dezembro, Lee registrou boletim de ocorrência na polícia preocupado com o sumiço de uma fortuna de sua conta. A investigação descobriu que um cheque de US$ 300 mil teria sido feito em nome da Hands of Respect LLC, empresa de merchandising constituída por ele e um sócio de sua filha, Jerry Olivarez. Outros US$ 850 mil teriam sido subtraídos da conta para comprar uma casa em um condomínio em West Hollywood, perto de onde o artista mora.

E não ficou nisso. Outros US$ 1,4 milhão evaporaram das contas de Lee em fevereiro.

Ao mesmo tempo, diversos funcionários antigos de Lee começaram a ser demitidos. Um dia após Lee ser internado num hospital com taquicardia, seu guarda-costas e faz-tudo Max Anderson foi dispensado, após 14 anos dedicados ao artista, com direito a queixa criminal, por ter atacado Lee e sua única filha, Joan Celia.

Além dele, também teriam sido demitidos a governanta da casa onde Lee mora, o jardineiro e o advogado do artista.

Em abril, o Hollywood Reporter revelou que o criador dos Vingadores enfrentava uma guerra infinita pelo controle de suas posses, envolvendo sua filha, seu ex e seu atual “sócio”.

A publicação conseguiu um documento assinado pelo próprio Stan Lee no escritório de seu então advogado, Tom Lallas, onde ele acusava três homens – o tal Keya Morgan, Jerardo “Jerry” Olivarez (sócio de Lee na época) e Kirk Schenck (advogado da filha) – de tentar controlar suas propriedades e dinheiro. Eles teriam influenciado sua filha que, de tempos em tempos, exigia mudanças em seu testamento, incluindo a transferência de propriedades para seu nome. No texto, Stan Lee afirma: “Tudo isso aumentava junto com seu maior medo: que, após minha morte, ela ficaria sem casa e destituída”.

Segundo o documento, J.C. Lee, de 67 anos, conta “com poucos amigos adultos” e os três homens insinuariam uma amizade com um único propósito: ter acesso ao controle das propriedades e dinheiro do lendário quadrinista.

Poucos dias depois de registrar esse documento em cartório, Lallas e mais uma leva de empregados de Lee foram demitidos. E a filha dele contratou diversos substitutos – um novo contador, um novo assistente, um novo cuidador e até um novo jardineiro.

Além disso, o número de telefone do quadrinista foi mudado e, segundo o THR, seus emails são monitorados e respondidos por Keya Morgan. “Stan Lee tem problemas de visão e não consegue ler letras pequenas”, justificou-se Morgan ao THR na época da denúncia.

Assim que foi informado que a revista preparava a reportagem, Morgan também gravou um vídeo em que Lee diz que o documento em que acusa a filha e o empresário é “totalmente incorreto, impreciso, enganoso e insultante”. Confrontado com essa declaração, o ex-advogado do escritor afirmou que Lee repassou todo o conteúdo com ele, “palavra por palavra, linha por linha”.

Lee também disse no vídeo: “Minha relação com minha filha nunca foi melhor e meu amigo Keya Morgan e eu também temos um ótimo relacionamento… Qualquer um que esteja dizendo outra coisa… está espalhando mentiras”.

Atualmente, Lee conta com um patrimônio estimado entre US$ 50 milhões e U$ 70 milhões.

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings