Estúdio de A Forma da Água lança divisão televisiva

 

A Fox Searchlight, estúdio que produziu “A Forma da Água”, vencedor do Oscar 2018 de Melhor Filme, vai lançar uma divisão televisiva.

A Searchlight Television terá como objetivo produzir material original, além de utilizar a biblioteca de filmes do estúdio para adaptação em séries.

Os executivos David Greenbaum e Matthew Greenfield foram promovidos a presidentes de produção para a nova divisão, mas mantém suas funções em relação ao comando cinematográfico da empresa.

“Em um momento tão empolgante para a empresa, sentimos que é a hora perfeita para oferecer novos caminhos para talentos visionários e inovadores, bem como para reconhecer as contribuições de David e Matthew”, disseram os presidentes da Fox Searchlight Pictures, Nancy Utley e Steve Gilula, em comunicado.

“As relações que a equipe da Searchlight forja com o talento são profundas e duradouras. Faz sentido estender essas relações para a televisão, de modo que a Searchlight possa contar grandes histórias em todas as plataformas”, acrescentou Stacey Snider, presidente e diretor executivo da 20th Century Fox Film.

“Em um momento tão empolgante para contar histórias, todos os canais e estúdios da Fox estão entusiasmados em colaborar com a Searchlight ao expandir sua marca exclusiva de excelência inovadora para a televisão”, completou Peter Rice, presidente da 21st Century Fox e presidente do conselho da empresa Fox Networks Group.

Greenbaum e Greenfield são executivos seniores da Fox Searchlight há 8 e 11 anos, respectivamente. Juntos, eles têm capitaneado filmes premiados – além do vencedor Oscar deste ano, também “Três Anúncios para um Crime”, “Ilha de Cachorros” e muitos outros.

A criação da divisão televisiva acontece após o estúdio anunciar um selo de produções do gênero fantástico, que será coordenado pelo cineasta Guillermo del Toro, justamente de “A Forma da Água”. O projeto já insinuava criações de séries.

Ao mesmo tempo, todo esse ímpeto de crescimento acontece no momento em que o grupo Fox aguarda seu destino, que depende da aprovação do governo americano de sua aquisição pela Disney.

Como a compra foi motivada pelo interesse da Disney em conteúdo, tudo pode acabar bem. Entretanto, a quantidade de divisões e subdivisões dentro dessas divisões, com custos operacionais paralelos a empresas similares no mesmo grupo, não reflete a forma funcional como a Disney costuma operar seu organograma.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings